Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Politica » Moro avaliou que coercitiva de Lula reduziria risco de tumultos

Política

Moro avaliou que coercitiva de Lula reduziria risco de tumultos

Moro avaliou que coercitiva de Lula reduziria risco de tumultos

Ao autorizar a condução do ex-presidente para depor na Operação Aletheia, juiz federal alertou para o confronto ocorrido em fevereiro em frente do Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo

0

Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, e Andreza Matais

04 Março 2016 | 16h55

B57G9188.jpg  SAO BERNARDO SP 04/03/2016 OPERAÇÃO LAVA JATO/ 24º/ALETHEA   Briga entre militantes a favor e contra o ex-presidente Lula  em frente ao Edifício Kentucky, na avenida Getúlio Vargas, no bairro Baeta Neves, em São Bernardo do Campo (SP), na manhã desta sexta-feira (4). O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva é dono de dois apartamentos no edifício e foi levado pela Policia Federal  em cumprimento a um mandado de condução coercitiva e será obrigado a prestar esclarecimentos,  na 24ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada hoje.  Foto: CLAYTON DE SOUZA / ESTADAO

Briga entre militantes a favor e contra o ex-presidente Lula em São Bernardo do Campo (SP). Foto: CLAYTON DE SOUZA / ESTADÃO

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz os processos da Operação Lava Jato, considerou o risco de tumultos para decretar a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo da 24ª fase batizada de Operação Aletheia. Houve suposto vazamento da operação e identificação de mobilização para gerar tumulto nas buscas.

“Apontado motivo circunstancial relevante para justificar a diligência, qual seja evitar possíveis tumultos como o havido recentemente perante o Fórum Criminal de Barra Funda, em São Paulo, quando houve confronto entre manifestantes políticos favoráveis e desfavoráveis ao ex-Presidente e que reclamou a intervenção da Polícia Militar”, diz Moro em despacho.

[veja_tambem]

“Colhendo o depoimento mediante condução coercitiva, são menores as probabilidades de que algo semelhante ocorra, já que essas manifestações não aparentam ser totalmente espontâneas.” Segundo Moro, com a medida, “previnem-se incidentes que podem envolver lesão a inocentes”, sem embargo do direito de manifestação política.

“Por outro lado, cumpre esclarecer que a tomada do depoimento, mesmo sob condução coercitiva, não envolve qualquer juízo de antecipação de responsabilidade criminal, nem tem por objetivo cercear direitos do ex-Presidente ou colocá-lo em situação vexatória.”

Mais conteúdo sobre:

Comentários