‘Miríade de delitos’

‘Miríade de delitos’

Em sua nova 'flechada', desta vez contra o 'quadrilhão' do PT, na qual incluiu Lula, Dilma, cinco ex-ministros e um ex-tesoureiro do partido, procurador-geral da República atribui a acusados crimes contra a administração pública

Beatriz Bulla, Breno Pires e Rafael Moraes Moura, de Brasília

06 Setembro 2017 | 05h00

Rodrigo Janot. Foto: André Dusek/Estadão

Em sua nova ‘flechada’, desta vez lançada contra o ‘quadrilhão’ do PT, o procurador-geral da República Rodrigo Janot afirma que os ex-presidentes Lula e Dilma, e mais cinco ex-ministros petistas e um ex-tesoureiro do partido faziam parte de uma organização criminosa para cometimento de uma ‘miríade de delitos’.

Além dos ex-mandatários, são acusados Antônio Palocci (Fazenda e Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda), Edinho Silva (Comunicação), Paulo Bernardo (Comunicação e Planejamento) e Gleisi Hoffman (Casa Civil) e, ainda, João Vaccari Neto, que admnistrou as finanças do PT.

DOCUMENTO: A NOVA FLECHADA DE JANOT

Para Janot, todos os denunciados ‘integraram e estruturaram uma organização criminosa com atuação durante o período em que Lula e Dilma, sucessivamente, titularizaram a presidência da República para o cometimento de uma miríade de delitos, em especial contra a administração pública em geral’.

Mais conteúdo sobre:

rodrigo janotoperação Lava Jato