MDB e PT negam propinas nas obras de Belo Monte

MDB e PT negam propinas nas obras de Belo Monte

Partidos são citados na Operação Buona Forte, fase 49 da Lava Jato que pega o ex-ministro Delfim Netto (Fazenda/ditadura militar)

Redação

09 Março 2018 | 11h52

Belo Monte. FOTO: SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Em nota oficial, os partidos MDB e PT negaram que tenham recebido propina nas obras da usina de Belo Monte, conforme investigação da força-tarefa da Lava Jato, que deflagrou hoje a 49ª fase dessa operação, batizada de Buona Fortuna, para apurar o esquema que envolve, além desses partidos, o ex-ministro Antonio Delfim Netto (Fazenda/ditadura militar).

“O MDB não recebeu propina nem recursos desviados no Consórcio Norte Energia. Lamenta que uma pessoa da importância do ex-deputado Delfim Netto esteja indevidamente citado no processo. Assim, como em outras investigações, o MDB acredita que a verdade aparecerá no final”, diz a nota dos emedebistas.

“As acusações dos procuradores da Lava Jato ao PT, na investigação sobre a usina de Belo Monte, não têm o menor fundamento. Na medida em que se aproximam as eleições, eles tentam criminalizar o partido, usando a palavra de delatores que buscam benefícios penais e financeiros”, diz a nota dos petistas.

COM A PALAVRA, ODEBRECHT

“A Odebrecht está colaborando com a Justiça no Brasil e nos países em que atua. Já reconheceu os seus erros, pediu desculpas públicas, assinou um Acordo de Leniência com as autoridades do Brasil, Estados Unidos, Suíça, República Dominicana, Equador, Panamá e Guatemala, e está comprometida a combater e não tolerar a corrupção em quaisquer de suas formas.”