‘Mas a lei é para todos’, diz Leandro Paulsen, revisor

‘Mas a lei é para todos’, diz Leandro Paulsen, revisor

Desembargador do Tribunal da Lava Jato deu início ao seu voto no julgamento de Lula destacando as legislações contra o colarinho branco e crimes financeiros criadas por governos petistas na Presidência

Ricardo Brandt, enviado especial a Porto Alegre, Luiz Vassallo, Julia Affonso e Fausto Macedo

24 Janeiro 2018 | 15h26

Foto: Reprodução da transmissão ao vivo pelo canal de Youtube do TRF-4

O revisor da apelação de Lula contra sua condenação no âmbito da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Leandro Paulsen, ressaltou, no início da leitura de seu voto que a ‘lei é para todos’ ao mencionar que Lula é agora acusado por crimes com base em leis promulgadas em governos de seu partido.

Paulsen mencionou, por exemplo a aprovação das leis Anticorrupção, de tipificação de organização criminosa e das delações premiadas, todas aprovadas e sancionadas durante o governo Dilma Roussef.

“Tal qual ocorreu com o presidente americano Richard Nixon no caso Watergate cujas investigações se viabilizaram com a aplicação de leis que ampliaram as possibilidades de investigação criminal por ele próprio promulgadas agora vemos um presidente se deparar com acusações baseadas em leis que sobrevieram durante os governos de seu partido. Mas a lei é para todos”, afirmou.


Até às 15h23, Paulsen, quando fez a declaração, ainda não havia sinalizado seu voto, pela culpa ou inocência dos acusados, e ainda se referia aos pedidos de suspeição da defesa do ex-presidente, afastando-os.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava JatoLulajulgamento