1. Usuário
Fausto Macedo
Assine o Estadão
assine
Fausto Macedo

Fausto Macedo

Repórter

EM ALTA

João Santana

‘Não vou abaixar a cabeça não’, diz mulher de marqueteiro de Dilma e Lula

Por Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba

23/02/2016, 17h22

   

Frase foi dita por Monica Moura, mulher do publicitário João Santana, ao descer da van da Polícia Federal para exame no Instituto Médico Legal, em Curitiba

Brazilian President Dilma Rousseff and former Brazilian President (2003-2011) Luiz Inacio Lula Da Silva's campaign publicist Joao Santana (C) is arrested upon his arrival in Sao Paulo, Brazil o February 23, 2016. Political consultant Santana was being investigated by the Brazilian justice for receiving payments outside the country which could come from Brazilian state-run oil company Petrobras' briberies. AFP PHOTO / STR

O ex-marqueteiro do PT João Santana. Foto: AFP

O marqueteiro do PT João Santana e sua mulher e sócia, Monica Moura, fizeram exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML), em Curitiba. Os dois alvos centrais da Operação Acarajé – 23ª fase da Lava Jato – que se entregaram na manhã desta terça-feira, 23, ao chegarem da República Dominicana, foram levados para o exame às 15 horas. “‘Não vou abaixar a cabeça não”, disse a mulher do publicitário ao deixar o veículo da PF rumo ao IML.

Além do casal foram presos outros três investigados: Vinícius Veiga Borin, Benedicto Barbosa da Silva Junior, diretor-presidente da Odebrecht, e o operador de propinas Zwi Skornicki.

Os cinco foram levados em uma van da Polícia Federal até o IML, na capital paranaense, e passaram pelos exames de praxe.

Mônica desceu primeiro do carro. Usava óculos escuros. Santana veio no banco traseiro da van. Os dois não deram declarações à imprensa. Ambos estavam com as mãos para trás, seguindo orientação dos federais.

JSANTANA

O casal responsável pelas últimas três campanhas presidenciais do PT – 2006, Luiz Inácio Lula da Silva, e 2010 e 2014, Dilma Rousseff – ficarão detidos na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

A prisão decretada pelo juiz federal Sérgio Moro, que conduz os processos da Lava Jato em primeiro grau, é temporária, por 5 dias.

João Santana e Mônica devem ser ouvidos até sexta-feira no inquérito da Acarajé.

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.