Maluf chorou quando soube que seu pedido de liberdade não foi julgado

Pessoa próxima do parlamentar informou que ele passou mal na Penitenciária da Papuda no final da noite desta terça, 27, quando seus advogados o informaram que o ministro Dias Toffoli, do Supremo, ainda não havia decidido sobre liminar

Igor Gadelha/BRASÍLIA

28 Março 2018 | 11h09

Foto: Breno Pires

O deputado Paulo Maluf (PP/SP) teve uma crise de choro e passou mal na Penitenciária da Papuda, no final da noite desta terça-feira, 27, quando soube por seus advogados que o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, ainda não havia decidido e, provavelmente, não decidiria durante o feriado da Semana Santa liminar pedida para que seja solto.

Maluf foi internado em um hospital particular de Brasília já na madrugada desta quarta-feira, 28. O parlamentar está encarcerado desde o dia 20 de dezembro na ala de idosos do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Aos 86 anos, Maluf cumpre pena de 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão por lavagem de dinheiro quando era prefeito de São Paulo (1993-1996). No dia 19 de dezembro do ano passado, o ministro Edson Fachin ordenou a execução da pena em regime fechado. Desde então, sua defesa vem divulgando que ele sofre de graves complicações de saúde.

Segundo pessoa próxima do deputado, ele teve uma crise de choro quando recebeu a notícia dos advogados, o que contribuiu para que passasse mal e fosse transferido da Papuda para o hospital.

O interlocutor de Maluf não descarta ainda que o caso de Maluf pode estar relacionado a um problema no nervo ciático.

Mais conteúdo sobre:

Paulo Maluf