Lula ataca ‘desfaçatez do companheiro Palocci’, mas confirma reunião com Emílio Odebrecht

Lula ataca ‘desfaçatez do companheiro Palocci’, mas confirma reunião com Emílio Odebrecht

Ex-presidente interrogado pelo juiz Sérgio Moro em Curitiba negou que tenha discutido ilícitos com patriarca da empreiteira no encontro realizado no penúltimo dia de seu segundo mandato, em 2010

Julia Affonso, Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, e Luiz Vassallo

13 Setembro 2017 | 22h35

Lula. Foto: Reprodução

O ex-presidente Lula confirmou nesta quarta-feira, 13, que se encontrou com o empresário Emilio Odebrecht em 30 de dezembro de 2010, como revelou o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda/Casa Civil – Governos Lula e Dilma). O líder petista, no entanto, negou que tenha discutido ilícitos na reunião que também teve a participação da então presidente eleita Dilma Rousseff.

Em depoimento na semana passada, Palocci relatou que naquele dia Lula se reuniu com Emílio, Dilma – à época ministra-chefe da Casa Civil -, e com o então presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli. No encontro, afirmou o ex-ministro, houve um pedido para que fossem mantidas as relações do governo, “lícitas e ilícitas”, com a Odebrecht.

Palocci declarou que não estava na reunião, mas foi chamado no dia seguinte. “(Emílio) Ele confirmou os R$ 300 milhões e falou que pode ser mais se necessário”, teria dito Lula.


Nesta quarta, 13, durante o interrrogatório a que Lula foi submetido, o Ministério Público Federal perguntou a ele se esteve na reunião.

“Eu conversei com Emilio Odebrecht no dia 30 de dezembro, era penúltimo dia. Eu tinha ido à Bahia inaugurar 1 milhão de contratos do Minha Casa, Minha Vida. Emílio Odebrecht me pediu o seguinte: ‘presidente, eu tô em Brasília, gostaria de, eu tô passando o comando da empresa para o Marcelo Odebrecht. Eu tava querendo ver se a presidenta Dilma nos recebia. Eu falei com a Dilma, ‘é possível receber?’, recebeu. Eu acho que não durou 10 minutos essa conversa. Não durou 10 minutos essa conversa”, afirmou.

Lula afirmou que ‘Dilma não tinha agenda, atendeu num gesto de cortesia’.

A Procuradoria da República quis saber se Palocci contou a Lula sobre o encontro no dia seguinte. Lula negou.

“Aí é outra coisa, sobre o Palocci. Eu vi atentamente o Palocci contar essa história, eu vi. A desfaçatez do companheiro Palocci foi de tal magnitude que ele inventou uma história que o Emilio foi lá discutir um fundo que tinha sido criado e foi discutir a manutenção desse fundo, a manutenção da relação dele com a Dilma”, disse.