1. Usuário
Fausto Macedo
Assine o Estadão
assine
Fausto Macedo

Fausto Macedo

Repórter

EM ALTA

Operação Lava Jato

Lobista diz que pagou R$ 7 milhões ’em cash’ a Dirceu

Por julia affonso, ricardo brandt e fausto macedo

23/01/2016, 03h41

   

Júlio Camargo, um dos delatores da Operação Lava Jato, afirmou ao juiz Sérgio Moro que dinheiro saiu de contrato da Petrobrás com fornecedora de tubos, e que repasses foram realizados entre 2008 e 2011 por solicitação do ex-diretor da estatal Renato Duque

Julio Camargo, delator da Lava Jato, confessou ao juiz Sergio Moro pagar propina a José Dirceu. Foto: Reprodução

Julio Camargo, delator da Lava Jato, confessou ao juiz Sergio Moro pagar propina a José Dirceu. Foto: Reprodução

O lobista Júlio Camargo, um dos delatores da Operação Lava Jato, afirmou nesta sexta-feira, 22, ao juiz federal Sérgio Moro que repassou propinas no montante de R$ 7 milhões para o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil/Governo Lula). Segundo Júlio Camargo, a propina foi entregue a Dirceu por orientação do ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque. O pagamento teria sido realizado em duas ocasiões, entre 2008 e 2011.

Dirceu e Duque estão presos em Curitiba, base da missão Lava Jato, acusados de corrupção e lavagem de dinheiro.
“Paguei a José Dirceu por solicitação de Renato Duque”, afirmou o lobista. “Num determinado momento, Renato Duque me chamou e disse que da nossa conta corrente era para destinar 4 milhões de reais ao ministro José Dirceu.”

O juiz Moro, que conduz a Lava Jato, indagou de Júlio Camargo como ele fez o repasse do dinheiro. “Sempre em cash.”

O lobista informou que o dinheiro da corrupção saiu de um contrato da Petrobrás com uma fornecedora de tubos.
A defesa de Dirceu rechaçou a informação que o ex-ministro tenha recebido valores ilícitos. Segundo Roberto Podval, criminalista constituído por Dirceu, todos os valores recebidos pela JD Assessoria e Consultoria – empresa de Dirceu – são relativos ‘a serviços efetivamente prestados, com emissão de nota fiscal’.

(Visited 5 time, 1 visit today)

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.