Leia a decisão que põe sob suspeita o reitor e a vice da UFMG

Leia a decisão que põe sob suspeita o reitor e a vice da UFMG

Operação Esperança Equilibrista apura desvios de recursos públicos, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), para implantação do Memorial da Anistia Política do Brasil

Redação

06 Dezembro 2017 | 15h43

Jaime Ramirez. Foto: Sarah Dutra/UFMG

A Operação Esperança Equilibrista, deflagrada nesta quarta-feira, 6, põe sob suspeita o reitor da Universidade Federal de Minas Gerais, Jaime Arturo Ramirez, e sua vice, Sandra Regina Goulart Almeida. A ação da Polícia Federal, com apoio da Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União, para investigar desvios de recursos da Universidade para implantação do Memorial da Anistia Política do Brasil.

Documento

COM A PALAVRA, A UFMG


“Na manhã desta quarta-feira, 6 de dezembro, membros da comunidade universitária foram levados para prestar depoimento na sede da Polícia Federal, em Belo Horizonte, em inquérito policial. Por se tratar de apuração que tramita em sigilo, a Universidade não pode se manifestar sobre os fatos que motivam a investigação em curso. Entretanto, dada a transparência com que lida com as questões de natureza institucional, a UFMG torna público que contribuirá, como é sua tradição, para a correta, rápida e efetiva apuração do caso específico.”

Mais conteúdo sobre:

UFMG