Lava Jato repudia ‘insultos’ de aliado de Lula a procuradores e juízes

Lava Jato repudia ‘insultos’ de aliado de Lula a procuradores e juízes

Força-tarefa do Ministério Público Federal em Curitiba, base da grande investigação, reage ao que chamou de 'ataques infundados' do deputado Wadih Damous (PT/RJ)

Ricardo Brandt, Luiz Vassallo e Fausto Macedo

27 Abril 2018 | 05h31

Reprodução do vídeo de Wadih Damous

A força-tarefa da Operação Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná repudiou nesta quinta-feira, 26, os ‘insultos lançados pelo suplente de deputado federal Wadih Damous (PT/RJ) contra juízes e procuradores da República, especialmente em relação à juíza federal Carolina Moura Lebbos, responsável pela condução da execução penal da condenação de Luiz Inácio Lula da Silva’.

“Suas (de Wadih) palavras mostram destempero e completa falta de compromisso com a verdade, preferindo denegrir pessoas e instituições a estabelecer uma crítica minimamente razoável ou fundamentada, sobre os trabalhos de dezenas de agentes públicos nos processos da operação Lava Jato, o que se esperaria de um parlamentar e ex-presidente de seccional da Ordem dos Advogados”, diz, em nota, a força-tarefa.

“Infelizmente, o suplente de deputado esconde-se atrás da imunidade parlamentar para dar vazão aos seus despropósitos e insultos.”

Os procuradores alegam que exercem a carreira de forma isenta e imparcial.

“Registra-se, por fim, que o fato de que juízes e procuradores chegaram às suas importantíssimas funções por meio de concursos abertos, competitivos e públicos, sem a necessidade de se valer de relações de compadrio ou econômicas, é motivo de orgulho e contribui para o caráter profissional e técnico de sua atuação”, finaliza a nota da força-tarefa.