Lava Jato ouve Paulo Roberto Costa sobre envolvimento de políticos e executivos

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu mais informações para serem acrescentadas em delação premiada de ex-diretor da Petrobrás

Redação

11 Fevereiro 2015 | 12h52

Atualizada às 13h44

Por Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Fausto Macedo e Julia Affonso

A força-tarefa da Operação Lava Jato ouve nesta quarta-feira, 11, mais depoimentos do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa nos termos da delação premiada acordada com o Ministério Público Federal. O pedido de aditamento à delação, em que o ex-diretor da estatal vai prestar novas informações aos investigadores da Lava Jato, foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O chefe do Ministério Público quer mais detalhes sobre o envolvimento de políticos que detêm prerrogativa de foro perante o Supremo Tribunal Federal. Na primeira etapa de sua delação premiada, entre agosto e setembro, Paulo Roberto Costa apontou os nomes de 28 políticos, entre deputados, senadores, ex-governador e até governador, como supostos beneficiários de repasses de valores desviados de contratos da Diretoria de Abastecimento.

PAULO ROBERTO COSTA/CPMI

Paulo Roberto Costa durante sessão da CPMI, em Brasília. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Costa está sendo ouvido novamente em Curitiba pelos procuradores da Lava Jato. Ele presta mais esclarecimentos sobre os esquemas envolvendo políticos e o grupo de empreiteiras que se organizou em cartel para fatiar obras na Petrobrás. Executivos dessas empresas foram alvos da sétima fase da Lava Jato, deflagrada em 14 de novembro de 2014, batizada de Operação Juízo Final.

O aditamento da delação de Costa foi autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. O doleiro Alberto Youssef também será ouvido novamente pela força-tarefa da Operação Lava Jato para acrescentar detalhes à sua delação premiada, a pedido do procurador-geral.

VEJA TAMBÉM
– Testemunha diz que Gabrielli e Duque barraram demissão de acusado de fraude
– STF mantém liberdade a ex-diretor ligado ao PT
– As etapas da Lava Jato