Lava Jato no Rio transfere seus presos de Benfica para Bangu

Lava Jato no Rio transfere seus presos de Benfica para Bangu

Ordem para remoção de 98 custodiados partiu do interventor na segurança Pública fluminense, general Walter Braga Netto, e foi publicada no Diário Oficial desta segunda-feira, 7

Roberta Jansen/RIO

07 Maio 2018 | 17h48

Presos da Operação Lava Jato no Rio estão sendo transferidos nesta segunda-feira, 7, para o Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Norte, onde já se encontra o ex-governador Sérgio Cabral Filho (MDB). Entre eles está o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Paulo Melo e o ex-líder do Governo na Casa Edson Albertassi, ex-deputados afastados, filiados ao mesmo partido. Também será transferido Felipe Picciani, filho do presidente afastado da Assembleia, Jorge Picciani (MDB)– que cumpre prisão domiciliar desde o fim de março.

A ordem para transferência de 98 presos de Benfica para Gericinó foi publicada no Diário Oficial desta segunda-feira, 7.

Trata-se de um decreto do interventor na Segurança Pública do Rio, general Walter Braga Netto.

Nota da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que o texto trata da reestruturação organizacional do sistema, e ‘objetiva a flexibilidade do fluxo de presos entre 12 unidades prisionais, privilegiando critérios de segurança e redução de superlotação’.

Em Benfica foram constatadas supostas irregularidades, que permitiriam regalias aos presos da Lava Jato – entre elas, estavam uma sala de vídeo, o armazenamento de comidas especiais nas celas e até um quarto decorado como um motel para encontros íntimos.