Justiça homologa delação do empresário João Bernardi Filho

João Antônio Bernardi Filho deixou a prisão; ele pagará multa de R$ 1,1 milhão e devolverá US$ 10 milhões em imóveis e obras de arte.

Julia Affonso, Ricardo Brandt, Fausto Macedo e Mateus Coutinho

26 Outubro 2015 | 14h06

Juiz Sérgio Moro. Foto: Evaristo Sá/AFP

Juiz Sérgio Moro. Foto: Evaristo Sá/AFP

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Operação Lava Jato, homologou nesta segunda-feira, 26, o acordo de delação premiada do empresário João Antônio Bernardi Filho, preso desde 19 de junho, quando foi deflagrada a Erga Omnes. Ele deixou a prisão e pagará multa de R$ 1,1 milhão.

As informações foram divulgadas pela assessoria do advogado Marlus Arns, que conduziu o acordo. Bernardi Filho vai devolver US$ 10 milhões em imóveis e obras de arte. Entre os assuntos tratados em sua delação estão propinas em obras da Petrobrás.


O empresário é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. Segundo o Ministério Público Federal, João Bernardi, ligado à empresa italiana Saipem, ‘atuou lavando dinheiro proveniente de crimes de corrupção’ em favor do ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque. A Procuradoria afirma que Bernardo Filho utilizou as contas das empresas Hayley S/A e Hayley do Brasil ‘para o recebimento e posterior internalização dos valores provenientes de crime’.

“A Hayley do Brasil, por sua vez, ocultava e dissimulava o pagamento de vantagem indevida a Renato de Souza Duque por intermédio da aquisição e posterior destinação de obras de arte ao ex-diretor”, aponta denúncia da Procuradoria.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jato