Justiça decreta preventiva do ejaculador

Justiça decreta preventiva do ejaculador

Decisão atende pedido do Ministério Público de São Paulo

Fausto Macedo e Julia Affonso

03 Setembro 2017 | 12h37

Diego Novais. Foto: Divulgação

O Ministério Público de São Paulo informou que, em audiência de custódia realizada neste domingo, 3, a Justiça decidiu pela prisão preventiva do ajudante de serviços gerais Diego Novais, de 27 anos. Ele foi flagrado na manhã de sábado, 2, no interior de um ônibus ’em ato caracterizado como estupro, nos termos do Código Penal’.

Diego havia sido preso após ejacular em uma mulher num ônibus em São Paulo, na terça-feira, 29, e solto no dia seguinte.

A decisão da Justiça neste domingo atende a manifestação do promotor de Justiça.

“Uma testemunha ouvida pela autoridade policial, referendando o depoimento da vítima, relatou que o agressor usou de força física para evitar que a mulher conseguisse se desvencilhar dele no momento do ataque”, diz nota doinistério Público.

“O MPSP, cumprindo a sua missão de defender a sociedade por intermédio da estrita observância da lei, atuará no sentido de que Novais, em virtude dos sinais da existência de patologia psiquiátrica, receba diagnóstico e tratamento médico adequado a fim de que não volte a delinquir.”

Mais conteúdo sobre:

Estupro