Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Politica » Justiça condena pastor que molestou fiel de 15 anos

Política

Justiça condena pastor que molestou fiel de 15 anos

Politica

Justiça condena pastor que molestou fiel de 15 anos

Tribunal impõe dois anos e 11 meses de reclusão a religioso por abusar de adolescente que o via como ‘líder espiritual’

0

Fernanda Yoneya e Julia Affonso

11 Janeiro 2016 | 06h00

CRÉDITO: TJ-SP

CRÉDITO: TJ-SP

A 4.ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou um pastor evangélico por atentado ao pudor mediante fraude. A pena foi fixada em dois anos e 11 meses de reclusão, em regime inicial semiaberto.

As informações foram divulgadas no site do TJ. O Tribunal não divulgou o nome do pastor condenado, nem a igreja nem o número dos autos.

A vítima, que na época dos fatos tinha 15 anos de idade, frequentava a igreja onde o réu trabalhava. Segundo os autos, o homem se aproveitou da confiança da adolescente, que o via como líder espiritual e, após ouvir em confidência seus problemas de relacionamento, convenceu a moça a se deixar “purificar” – e em duas ocasiões praticou sexo oral com ela.

Dias depois, a adolescente gravou conversa que teve com o pastor, em que ele pedia para não revelar a ninguém o que havia ocorrido, pois iria “negar até morte”.

O relator, desembargador Ivan Sartori, destacou em seu voto que a avaliação psicológica da vítima confirmou que houve abuso sexual e que ela foi levada a permitir o contato íntimo por “questões religiosas e submissão ao réu”.

O julgamento contou com a participação dos desembargadores Edison Brandão e Camilo Léllis e teve votação unânime.

Comentários