Juiz manda investigar estadia de Garotinho nos Bombeiros

Juiz manda investigar estadia de Garotinho nos Bombeiros

Local aonde, inicialmente, ex-governador do Rio ficou preso fica ao lado de imóvel ligado ao marido da deputada Clarissa Garotinho

Julia Affonso e Luiz Vassallo

25 Novembro 2017 | 05h00

Anthony Garotinho. FOTO FABIO MOTTA/ESTADÃO

O juiz Ralph Machado Manhães Junior, da 98ª zona eleitoral de Campos de Goytacazes, mandou investigar os motivos que levaram ao Corpo de Bombeiros, em Humaitá, ser o lugar escolhido, inicialmente, para a prisão de Anthony Garotinho. O local é próximo da Casa de Espanha, ligada ao genro do ex-governador do Rio, segundo o magistrado. Manhães ainda quer que seja investigada a eventual ‘comunicação’ entre os dois imóveis.

Documento

O ex-governador do Rio foi punido por afirmar, sem provar, que foi agredido em sua cela, e será transferido para o presídio de Bangu 8, na Zona Oeste do Rio.

Antes do ocorrido, o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho (PR), foi levado inicialmente, para uma cela dentro do quartel do Corpo de Bombeiros, no bairro Humaitá, na zona sul do Rio.

De acordo com a Defesa Civil, a decisão foi tomada devido a uma determinação da Justiça. Ele foi encaminhado até o local em uma viatura da Polícia Federal, depois de passar por exames no Instituto Médico Legal (IML). No entanto, segundo o magistrado afirma que o local foi escolhido ‘sem qualquer determinação judicial para tal diligência, causando bastante estranheza este fato, até porque não houve qualquer comunicação’, nem ao próprio juiz, nem ‘ao juízo da VEP, ao SEAP e nem mesmo ao Comando Maior do Corpo de Bumbeiros deste Estado’.

“Não bastasse a estranheza com relação ao desvio do cumprimento do mandado expedido pela Justiça, informações chegaram a este juízo dando conta de que o quartel do GBM Humaitá tem como vizinho de muro a Casa de Espanha, havendo notícias de que existe comunicação entre esses imóveis. Também foi noticiado que o atual presidente da Casa de Espanha é o Senhor Marcos Antônio Alvite Vasquez, casado com a Deputada Clarissa Garotinho, filha do réu Anthony Garotinho”, anotou.

Segundo o magistrado, a ‘coincidência deve ser esclarecida de forma a não pairar qualquer dúvida sobre a existência de qualquer interferência do réu ou de pessoas a ele ligadas quando do cumprimento da sua prisão’.

COM A PALAVRA, A FAMÍLIA DE ANTHONY GAROTINHO

A família do ex-governador Anthony Garotinho repudia veementemente as insinuações da Seap de que Garotinho teria se autolesionado, usando isso, inclusive, como pretexto para lhe impor “punições”.

A Seap alega que as imagens do circuito interno de TV não detectaram ninguém entrando na cela para agredir o ex-governador, mas essas mesmas câmeras também não flagraram inúmeras irregularidades que beneficiaram o grupo de Sérgio Cabral.

Cadê as imagens de entrada no presídio de home theater? Ninguém viu? Cadê as imagens da entrada de alimentos como camarão e produtos importados entregues por fornecedores? Ou pior: onde estão as imagens do uso frequente de celular por políticos do grupo do Cabral que estão presos ali? Ninguém viu também. E em nenhuma dessas ocasiões vimos nenhum tipo de punição. Será que alguém do sistema prisional está sendo conivente com as regalias de Cabral e sua turma?

É necessário que haja apuração séria e isenta das filmagens envolvendo a agressão a Garotinho. Afinal, é possível afirmar categoricamente que nada aconteceu no intervalo de duas horas em que não houve filmagens até Garotinho ser visto chamando os guardas?

Por fim, a família vem a público manifestar a sua indignação com esse episódio e com toda a injustiça. E mais uma vez perguntar: onde estão a mansão, a fazenda, as contas no exterior de Garotinho e Rosinha? Nossa família não enriqueceu na política.

 

Mais conteúdo sobre:

Anthony GarotinhoAnthony Garotinho