Gilmar pede vista e interrompe julgamento de denúncia contra Agripino

Gilmar pede vista e interrompe julgamento de denúncia contra Agripino

Ministro do Supremo quer mais tempo para análise da acusação da Procuradoria contra senador (DEM) do Rio Grande do Norte por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e uso de documento falso

Rafael Moraes Moura e Amanda Pupo/BRASÍLIA

08 Maio 2018 | 21h34

Senador José Agripino. Foto: Beto Barata/Agência Senado

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta terça-feira (8) pedir vista (mais tempo para análise) e suspendeu o julgamento sobre o recebimento de denúncia contra o senador José Agripino Maia (DEM-RN) pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e uso de documento falso.

O ministro prometeu trazer o caso de volta para o colegiado ainda neste mês.

O caso envolve um suposto esquema de pagamento de vantagens indevidas para garantir a manutenção de um contrato de um consórcio com o Estado do Rio Grande do Norte voltado para inspeção veicular ambiental. O relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski, votou pelo recebimento da denúncia contra Agripino Maia pelos três crimes.

“A denúncia se afigura tecnicamente apta – indícios existem, de fato. A denúncia apóia-se em sólidos elementos indiciários”, disse Lewandowski.

Para o advogado Aristides Junqueira, defensor do senador, não há crimes. “Só faltou a denúncia com relação a mim. Quero dizer que não é esse o Ministério Público que eu sonhei e que o Brasil precisa”, afirmou o advogado, que comandou a Procuradoria-Geral da República de 1989 a 1995.

Material. Ao defender o recebimento da denúncia, a subprocuradora-geral da República Cláudia Sampaio Marques destacou que o material que embasa a acusação é “consistente”. “Há delação premiada de duas pessoas, extratos telefônicos, bancários, um conjunto de elementos que sustentam a acusação”, observou Cláudia.