Extratos de amigo de Lula mostram “empréstimo” de operador de propinas

Extratos de amigo de Lula mostram “empréstimo” de operador de propinas

Pecuarista José Carlos Bumlai tem documentos bancários de contas de empresa da família e pessoais que comprovariam recebimento de R$ 1,5 milhão do lobista Fernando Baiano, em 2011; alvo da Lava Jato, ele diz que dinheiro era para pagar funcionários, delator diz que era para nora do ex-presidente

FAUSTO MACEDO, JULIA AFFONSO E RICARDO BRANDT

25 Outubro 2015 | 15h17

O pecuarista José Carlos Bumlai, amgio do ex-presidente Lula, durante entrevista /Foto: Gabriela Bilo-Estadão

O pecuarista José Carlos Bumlai, amgio do ex-presidente Lula, durante entrevista /Foto: Gabriela Bilo-Estadão

Extratos bancários da conta da Transportadora São Fernando Ltda, que pertence à família do pecuarista José Carlos Bumlai, mostram a entrada de R$ 1,5 milhão e a transferência subsequente de R$ 300 mil e R$ 1,2 milhão pra duas contas pessoais do amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os registros bancários foram apresentados pelo pecuarista como prova de que recebeu um empréstimo do operador de propinas ligado ao PMDB Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, para pagar despesas com seus funcionários.

EXTRATO BUMLAI 1


Um dos extratos mostra a entrada de uma TED – transferência eletrônica bancária – de R$ 1,5 milhão no dia 4 de outubro de 2011. No mesmo dia, há registrada a saída de um cheque de R$ 300 mil para um conta pessoal de Bumlai. O documento mostra que a conta estava negativa.

No dia seguinte, dia 5, há uma transferência de R$ 1,2 milhão da conta da São Fernando para a outra conta do pecuarista.

 

EXTRATO BUMLAI 2

EXTRATO BUMLAI 3

“Esses recursos foram utilizados para pagamentos da folha de pagamento e de outras despesas relacionadas à atividade rural da pessoa física JCB”, afirmou Bumlai.

Em entrevista ao Estado, o pecuarista afirmou que teve dificuldades financeiras e pediu dinheiro emprestado ao lobista libado ao PMDB. “Fernando me arruma um milhão e meio, nem três, nem dois, me arruma um milhão e quinhetos mil, eu te devolvo. Ele me arrumou, esta é a minha verdade.”

A história que o próprio operador de propinas contou em sua delação premiada é diferente. Fernando Baiano afirmou que Bumlai pediu R$ 3 milhões para quitar uma dívida ou prestação de imóvel de uma nora do ex-presidente Lula.

Preso desde dezembro de 2014, em Curitiba, Fernando Baiano diz que concordou em antecipar R$ 2 milhões da propina a ser paga por um contrato que o lobista intermediava para o Grupo OSX, de Eike Batista, na Petrobrás. Em sua delação, ele diz que efetivou as transferências, que não chegaram a completar a quantia acordada.

[veja_tambem]

“Ele fala que me deu R$ 3 milhões, depois virou R$ 2 milhões, ele até se confunde na delação. Em 2011, no mês de setembro, eu tive uma dificuldade, eu não lembro porque, dificuldade financeira. Como eu estava com aquele meu negócio que renderia um bom… eu tinha aberto um canal de conversa com o Fernando, eu pedi a ele”, afirmou o pecuarista, em entrevista ao Estado.