‘Exclusively for Sérgio Cabral’ – ex-governador do Rio gastou R$ 258 mil em roupas de grife

‘Exclusively for Sérgio Cabral’ – ex-governador do Rio gastou R$ 258 mil em roupas de grife

Polícia Federal encontrou armário recheado de paletós e calças de grife na residência de Sérgio Cabral (PMDB), ‘alguns dos itens com etiqueta de fabricação exclusiva’

Julia Affonso e Fausto Macedo

17 Dezembro 2016 | 06h15

ternocabral1

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) gastou R$ 258.945,00 em roupas e terno de grife entre 2011 e 2015, segundo denúncia contra o peemedebista na Operação Lava Jato. As ‘peças luxuosas de vestuário masculino’, descreve a acusação da Procuradoria da República no Paraná, teriam sido pagas ‘utilizando produto do crime’.

Documento

Sérgio Cabral foi preso em 17 de novembro pela Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato. Após um período preso no Complexo de Bangu, no Rio, o peemedebista foi transferido para Curitiba por suspeita de irregularidade nas visitas na penitenciária fluminense. Nesta sexta-feira, 16, o Tribunal Regional Federal da 2.ª Região ordenou o retorno do peemedebista a Bangu.

ternocabral

Durante as buscas da Operação Calicute em seu apartamento, no Leblon, no Rio, a Polícia Federal ‘identificou uma grande quantidade de ternos da marca Ermenegildo Zegna, inclusive com alguns dos itens com etiqueta de fabricação exclusiva’ para o ex-governador. Um agente, então, informou ao delegado federal Igor Romário de Paula, da Operação Lava Jato, no Paraná, sobre os ternos.

“Inicialmente, tal fato não foi considerado relevante e por este motivo não constou circunstanciado em Auto de Arrecadação. Entretanto, como identificou-se através dos Exmos. Procuradores da República que tais informações seriam relevantes às investigações”, anotou o agente federal.

ternocabral2ternocabral3ternocabral4ternocabral6ternocabral7

Fotos enviadas pelo agente federal à Lava Jato mostram um armário, na casa de Sérgio Cabral, com ao menos 10 blazers. Alguns têm detalhes com o nome do ex-governador do Rio.

O peemedebista governou o Rio por dois mandatos, entre 2007 e abril de 2014.

Entre 2011 e 2013, o então governador gastou R$ 201.845,00 em seis compras na Ermenegildo Zegna. Depois que deixou o cargo, Cabral pagou R$ 57,1 mil em duas compras.

Na maior compra, em 2012, Sérgio Cabral pagou R$ 89.950,00 ‘por meio de 11 operações bancárias de depósito em dinheiro, fracionadas em valores inferiores a R$ 10 mil’, segundo a denúncia do Ministério Público Federal.

A Procuradoria da República vê lavagem de dinheiro na compra dos ternos por causa dos pagamentos de valores abaixo dos R$ 10 mil em espécie. Isto porque o Banco Central estabelece obrigação de comunicação de operações bancárias suspeitas de lavagem de dinheiro de valor igual ou superior a R$ 10 mil.

Na decisão que abre ação contra Sérgio Cabral, o juiz federal Sérgio Moro apontou para este tipo de transação.

“Não é incomum que criminosos, buscando ocultar transações com dinheiro de origem e natureza ilícita, utilizem expedientes para estruturar suas operações em valores fracionados para que fiquem abaixo dos parâmetros de R$ 10 mil”, observou o magistrado.

Denúncias – O peemedebista é alvo de duas ações penais, uma na Lava Jato, no Paraná, outra na Calicute, no Rio.

Nesta sexta, 16, o juiz federal Sérgio Moro abriu ação penal contra o ex-governador por propina de pelo menos R$ 2,7 milhões da empreiteira Andrade Gutierrez, entre 2007 e 2011, referente as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobrás. Sérgio Cabral é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

A Procuradoria da República, no Rio, denunciou Sérgio Cabral por associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro. O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, do Rio, aceitou a denúncia. Sérgio Cabral é acusado por 164 atos de lavagem de dinheiro e 49 de corrupção passiva.

OS GASTOS DE SÉRGIO CABRAL COM ROUPAS DE ALTO PADRÃO

Entre 26 de maio de 2011 e 20 de julho de 2011: R$ 26.840,00
Entre 12 de maio de 2011 e 29 de setembro de 2011: R$ 14.255,00
Entre 13 de abril de 2012 e 23 de maio de 2012: R$ 31.925,00
Entre 06 de julho de 2012 e 14 de setembro de 2012: R$ 89.950,00
Entre 23 de outubro de 2012 e 30 de novembro de 2012: R$ 23.875,00
Entre 15 de maio de 2013 e 21 de maio de 2013: R$ 15 mil
Entre 09 de junho de 2015 e 10 de junho de 2015: R$ 37.715,00
Entre 03 de julho de 2015 e 16 de dezembro de 2015: R$ 19.385,00

Mais conteúdo sobre:

operação Lava JatoSérgio Cabral