Ex-diretor da Petrobrás fica frente a frente com Cerveró na Justiça

Paulo Roberto Costa, um dos delatores da Lava Jato, prestou depoimento como testemunha de acusação em processo contra Nestor Cerveró e o lobista Fernando Baiano

Redação

13 Fevereiro 2015 | 14h58

Por Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa foi ouvido nesta sexta-feira, 13, pela Justiça Federal, em Curitiba. Durante duas horas, ele prestou depoimento e ficou cara a cara com ex-diretor da área Internacional da estatal Nestor Cerveró e com o lobista Fernando Antonio Falcão Soares, o Fernando Baiano – ambos apontados como elos do PMDB na arrecadação de propina na companhia.

VEJA IMAGENS DA CHEGADA NA JUSTIÇA FEDERAL, EM CURITIBA, DOS EX-DIRETORES DA PETROBRÁS, PAULO ROBERTO COSTA E NESTOR CERVERÓ, RÉUS DA LAVA JATO

 

Costa e o doleiro Alberto Youssef, dois delatores da Operação Lava Jato, que desbaratou um bilionário esquema de corrupção da Petrobrás, são testemunhas de acusação no processo criminal em que foram denunciados Cerveró e Baiano. A outra testemunha, o advogado Carlos Alberto Costa, que trabalhava para Youssef, falou durante 15 minutos.

Youssef apenas acompanhou um dos depoimentos previstos para esta sexta. Costa – que admitiu ser parte do esquema que arrecadava de 1% a 3% de propina em contratos da Petrobrás a partir de 2004 – vai confrontar Cerveró e Fernando Baiano, que até agora negaram integrarem a organização criminosa denunciada pela força-tarefada da Lava Jato. Ele deve voltar para o Rio, onde cumpre prisão domiciliar, ainda nesta sexta. Cerveró está preso na Custódia da PF em Curitiba, base da Lava Jato.