Empreiteiro se entrega à PF

Empreiteiro se entrega à PF

Acompanhado de uma advogada, Gérson Almada chegou à Superintendência da PF, em Curitiba, usando um moletom e com um capuz cobrindo o rosto

Fausto Macedo, Julia Affonso, Luiz Vassallo e Ricardo Brandt

20 Março 2018 | 13h42

Gerson Almada. Foto de arquivo: Werther Santana/Estadão

O ex-vice-presidente da Engevix Gérson de Mello Almada se entregou à Polícia Federal, em Curitiba, na tarde desta terça-feira, 20. Acompanhado de uma advogada, o empreiteiro chegou ao local usando um moletom e com um capuz cobrindo o rosto.

O juiz federal Sérgio Moro mandou prendê-lo na segunda-feira, 19, no âmbito da Operação Lava Jato. O magistrado ordenou a execução provisória após condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4).

A sentença de Moro foi reformada na 2.ª instância. O Tribunal da Lava Jato aplicou 34 anos e 20 dias a Gérson Almada em 21 de junho de 2017 por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa.

Ao mandar prender o empreiteiro, Sérgio Moro advertiu que uma eventual alteração no entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a execução de pena após decisão de 2.ª instância seria ‘desastrosa’. O juiz da Operação Lava Jato destacou que a jurisprudência estabelecida pela Corte máxima desde fevereiro de 2016 ‘é fundamental, pois acaba com o faz de conta das ações penais que nunca terminam’.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jato