Empreiteiro da Lava Jato doou R$ 1,3 milhão para campanha de prefeito de Niterói (RJ)

Em 2010, Rodrigo Neves (PT), então deputado estadual, foi autor de projeto que concedeu títulos de beneméritos para o executivo Ricardo Pessoa, da UTC, e Sérgio Machado, então presidente da Transpetro

Redação

26 Fevereiro 2015 | 20h10

Por Julia Affonso e Clarissa Thomé

Em 2010, quando era deputado estadual do Rio, o atual prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PT), foi autor de um projeto de resolução que concedeu título de beneméritos do Estado a dois executivos, hoje alvos da Operação Lava Jato: Ricardo Pessoa, da UTC, e o presidente licenciado da Transpetro, Sérgio Machado. O empreiteiro foi preso em novembro de 2014 por suposta participação no esquema de corrupção e propina na Petrobrás.

A UTC, administrada por Pessoa, doou R$ 1,3 milhão para a campanha de Neves à Prefeitura de Niterói, nas eleições de 2012. A quantia representa 16% dos cerca de R$ 7,9 milhões captados pelo candidato no pleito daquele ano.
Ricardo Pessoa é acusado de presidir o ‘clube vip’ que cartelizava obras na estatal petrolífera.

Na noite de 12 de novembro de 2014, a Polícia Federal interceptou um telefonema entre o prefeito de Niterói, na região metropolitana do Rio, e o empreiteiro. Dois dias depois, Pessoa foi preso preventivamente na sétima fase da Operação Lava Jato, batizada de Juízo Final. Na ligação, Pessoa chama o prefeito petista de ‘meu chefe’. Os dois combinam um almoço em um restaurante de luxo. “Está tudo certo, amanhã conversamos pessoalmente”, conclui o prefeito petista.

O projeto de resolução de Neves na Assembleia Legislativa do Rio é datado de 17 de novembro de 2010. O texto ressalta que Pessoa, nascido em Salvador (BA), é formado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da Universidade Federal da Bahia, com especialização em Administração de Negócios. O título foi dado em 8 de dezembro do mesmo ano.

“A retomada de negócios, a modernização e expansão da atividade naval e offshore fazem com que a Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) preste justa homenagem a personagens históricos que elevam a dignidade, seriedade e o compromisso com a qualidade de trabalho”, assinala o projeto. “Trabalha há mais de 30 anos no setor de construção naval e offshore e atualmente exerce o cargo de Diretor Geral da UTC Engenharia. Ex – Presidente da ABEMI – Associação de Empresas de Engenharia e Construção Industrial e Conselheiro da ONIP – Organização da Indústria Nacional de Petróleo.”


Na ocasião, Rodrigo Neves destacou também a atuação do presidente da Transpetro, Sérgio Machado. Ele foi, segundo o site da Assembleia Legislativa do Rio, o principal homenageado da sessão. Recebeu o título de cidadão do Rio de Janeiro e a Medalha Tiradentes, principal comenda do Estado.

“Acompanhamos a luta do Sérgio, na Transpetro, desde 2004, quando falávamos de uma indústria que os governos anteriores ao do presidente Lula não acreditavam ser viável. O Sérgio insistiu e tornou realidade a recuperação da indústria naval brasileira, e sobretudo a fluminense”, disse Rodrigo Neves, no evento em 2010.

Citado na Operação Lava Jato, Machado está afastado da Transpetro desde 3 de novembro do ano passado, quando pediu a primeira licença do cargo. O pedido já foi prorrogado por três vezes. O mais recente é válido até 30 de março de 2015. Afilhado político do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), Machado estava à frente da subsidiária de logística da Petrobrás há 11 anos e sofria forte pressão para deixar a estatal.

No início de outubro, em depoimento à Justiça Federal, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, réu na Lava Jato, disse que recebeu R$ 500 mil em dinheiro das mãos de Machado, como parte de um esquema de pagamento de propina envolvendo contratos da estatal. Costa afirmou que recebeu o dinheiro no apartamento do agora presidente licenciado da Transpetro, em 2009 ou 2010.

Na sessão, a Alerj prestou homenagem a outros executivos, considerados personalidades da indústria naval do Estado. O presidente do estaleiro STX, Miro Arantes, o presidente do Sindicato Nacional da Indústria da Construção Civil e Reparação Naval, Offshore e Náutica (Sinaval), Ariovaldo Rocha, o presidente da Sociedade Brasileira de Engenharia Naval (Sobena), Alceu Mariano Souza, o secretário nacional de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM CUT), Edson Rocha, o fundador do grupo Centelha, Edmilson Gabriel, e o diretor Comercial do estaleiro Keppel Fels Brasil, Gilberto Israel, também foram considerados beneméritos. Para a Alerj, todos os executivos tiveram papel importante na recuperação dos estaleiros do Rio.

A Comissão de Fábrica do Estaleiro Eisa, representada por Luiz de Oliveira, e a Associação Brasileira das Empresas de Construção Naval e Offshore (Abenav) receberam Moção de Congratulação e Louvor pela atuação no retomada do setor naval.

Sérgio Machado tem reiterado que nunca recebeu propina.

COM A PALAVRA, RODRIGO NEVES.

O prefeito de Niterói reafirmou nesta quinta-feira, 25, que não sabia de irregularidades praticadas por Ricardo Pessoa, por Sérgio Machado ou por qualquer um dos homenageados. Ele reiterou que seu contato com o executivo da UTC era institucional.

“O empresário Ricardo Pessoa participou da solenidade, assim como outros executivos, empresários do estado, além de autoridades dos governos federal, estadual, municipal, personalidades, representantes das comunidades beneficiadas e convidados em geral. Em relação à homenagem, cabe esclarecer que em sua trajetória política, Rodrigo Neves sempre teve como uma de suas principais bandeiras a revitalização do setor naval, em especial de Niterói. O setor, que viveu sua pior crise nos anos 90, hoje retomou sua importância estratégica em Niterói e gera milhares de empregos, além de royalties, para o estado e municípios fluminenses. Há cinco anos, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) realizou uma sessão homenageando a indústria naval fluminense. Na sessão, três trabalhadores receberam as homenagens representando toda a categoria. O mesmo foi feito em relação ao empresariado que esteve representado por Ariovaldo Rocha, presidente do Sindicato Nacional da Indústria da construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) e Ricardo Pessoa, presidente da Associação Brasileira de Engenharia Industrial (Abemi). O presidente do Sindicato dos metalúrgicos de Niterói Edson Carlos da Rocha, presidente do Fórum dos Trabalhadores da Indústria Naval e Petróleo, Joacir Pedro, além do presidente da Sociedade Brasileira de Engenharia Naval (Sobena), Alceu Mariano de Melo Souza, foram os demais homenageados na ocasião, cada um deles representando sua categoria. Por fim, não foi uma iniciativa individual, mas a todo um setor. Ficando claro que a homenagem foi institucional, assim como a relação com o empresário.”

OUÇA A CONVERSA ENTRE O PREFEITO DE NITERÓI E RICARDO PESSOA