Em ligação, empreiteiro preso na Lava Jato chama prefeito de Niterói de ‘meu chefe’

Grampo da PF mostra que dias antes de ser preso, em novembro, Ricardo Pessoa, da UTC, almoçou com o petista Rodrigo Neves

Redação

25 Fevereiro 2015 | 05h15

Por Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Julia Affonso e Fausto Macedo

Uma ligação interceptada pela Polícia Federal, em novembro de 2014, revela uma conversa entre o executivo Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, empresa acusada de pertencer ao cartel instalado na Petrobrás, e o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PT). O áudio foi gravado na noite de 12 de novembro. Dois dias depois, Pessoa foi preso na sétima fase da Operação Lava Jato, batizada de Juízo Final, sob suspeita de presidir o ‘clube’ das empreiteiras. Na ligação, Pessoa chama o prefeito petista de ‘meu chefe’.

O executivo está preso preventivamente desde 14 de novembro na carceragem da PF, em Curitiba. Em conversa amistosa, Neves e Pessoa marcam um almoço em um restaurante de luxo, em Niterói, região metropolitana do Rio.

“Querido diretor, cada vez mais animado por Niterói”, diz o prefeito. “Se Deus quiser. Estou sabendo do seu prestígio aí na cidade, cada vez maior”, responde o executivo.

Neves conta ao empreiteiro que ‘elegemos três deputados, o Sergio Zveiter (PSD), Chico D’Angelo (PT) e Waldeck (Carneiro, PT)’ e demonstra alegria ao falar da eleição do governador Pezão (PMDB) no Estado do Rio e da presidente Dilma Rousseff (PT). O prefeito conta ao executivo sobre um financiamento aprovado.

“O financiamento da complementação da Transoceânica. Estou muito animado. Foi aprovado na Cofiex, Comissão de Financiamentos Externos. É o último passo antes da assinatura do contrato. Agora, meu amigo, eu precisava falar com você pessoalmente.”

“Meus parabéns”, empolga-se Pessoa.

Os dois, então, marcam um almoço para o dia seguinte no restaurante Olimpo. “Ontem eu estive com o governador à noite, e ele autorizou o último documento que faltava para a licença da obra, né? Tá tudo certo, a gente conversa amanhã pessoalmente.”

O restaurante de luxo escolhido para o almoço executivo foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e decorado pelo arquiteto francês Gilles Jacquard. Ele fica em uma área privilegiada da cidade, de frente para a Baía de Guanabara.

De acordo com o site da Prefeitura, a TransOceânica terá 9,3 quilômetros de extensão e atenderá 11 bairros da Região Oceânica de Niterói. O investimento total da obra é de R$ 310 milhões. A via expressa contará com um sistema de ônibus especial e transportará cerca de 80 mil pessoas por dia.

COM A PALAVRA, O PREFEITO RODRIGO NEVES.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o prefeito Rodrigo Neves (PT), de Niterói, esclareceu.

“O prefeito o conhece institucionalmente desde a época em que o sr. Ricardo Pessoa era presidente da Abemi (Associação Brasileira de Engenharia) e o prefeito, secretário municipal de Desenvolvimento de Niterói. O almoço foi uma reunião de ponte de controle da execução do projeto, vencido pelo consórcio Constran/Carioca, para realização de obra de mobilidade em Niterói. (Na época do almoço, o prefeito) não tinha conhecimento das investigações do Ministério Público. (A licença sobre a qual conversam é da) TransOceânica. Um dos projetos de mobilidade urbana para a cidade. O consórcio vencedor é composto pelas empresas Constran e Carioca Engenharia. A obra está em fase detalhamento de projeto executivo.”

‘TÁ TUDO CERTO, A GENTE CONVERSA AMANHÃ PESSOALMENTE’

(LEIA A TRANSCRIÇÃO DO GRAMPO DA PF QUE PEGOU O EMPREITEIRO E O PREFEITO PETISTA)

Rodrigo Neves: Boa noite, diretor.

Ricardo Pessoa: Meu chefe, tudo bem?

Rodrigo: Querido diretor, cada vez mais animado por Niterói.

Ricardo: Se Deus quiser. Estou sabendo do seu prestígio aí na cidade, cada vez maior.

Rodrigo: Elegemos os três deputados. O Sergio Zveiter (PSD), o Chico D’Angelo (PT) e o Waldeck (Carneiro, PT) foram os candidatos que eu lancei. O governador teve em Niterói a maior vitória da região metropolitana. A presidenta, em cidades com perfil semelhante, teve uma diferença grande. Aqui foi uma diferença mais apertada.

Ricardo: Mas foi uma vitória.

Rodrigo: Foi uma vitória em um quadro que a gente tem aí infelizmente um segmento da classe A e B a presidenta não conseguiu sensibilizar. Mas foi bem, foi bem, foi muito bem. Hoje a ministra Miriam me informou que um financiamento internacional que eu estava pleiteando foi aprovado.

Ricardo: Meus parabéns.

Rodrigo: O financiamento da complementação da Transoceânica.

Ricardo: Que beleza.

Rodrigo: Estou muito animado. Foi aprovado na Cofiex, que é a Comissão de Financiamentos Externos. É o último passo antes da assinatura do contrato. Agora, meu amigo, eu precisava falar com você pessoalmente.

Ricardo: Como você está amanhã?

Rodrigo: Eu estaria disponível na hora do almoço.

Ricardo: Quer almoçar amanhã?

Rodrigo: Poderíamos almoçar.

Ricardo: O lugar é o senhor que marca.

Rodrigo: Poderia ser ali no Olimpo.

Ricardo: Onde é o Olimpo?

Rodrigo: O Olimpo é na estação do catamarã. Acho que seria melhor para você.

Ricardo: Ah, sei. Poderia, sim, sem dúvida.

Rodrigo: Pega o catamarã, em 15 minutos está aqui.

Ricardo: Pode ser, que horas?

Rodrigo: Vou ter uma reunião às 11h30, para ir para o Rio para mim não tem sentido.

Ricardo: Eu pego o catamarã e vou lá.

Rodrigo: A gente atualiza. Ontem eu estive com o governador à noite, e ele autorizou o último documento que faltava para a licença da obra, né? Tá tudo certo, a gente conversa amanhã pessoalmente.