1. Usuário
Fausto Macedo
Assine o Estadão
assine
Fausto Macedo

Fausto Macedo

Repórter

EM ALTA

Eduardo Cunha

Eduardo Cunha tem Porsche em nome de Jesus.com

Por Julia Affonso, Ricardo Brandt, Mateus Coutinho e Andreza Matais

16/10/2015, 20h08

   

Segundo procurador-geral da República em exercício, Eugênio Aragão, carro de luxo é usado pela mulher do presidente da Câmara, Cláudia Cordeiro Cruz

Eduardo Cunha. Foto: Reuters

Eduardo Cunha. Foto: Reuters

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é dono de uma frota de 8 veículos de luxo, que estão em nome de uma de suas empresas, a Jesus.com. Entre os carros em nome desta empresa, todos modelo 2013, estão um Porsche Cayenne (R$ 429.478 mil) um Ford Edge V6 (R$ 120.165 mil) e um Ford Fusion NA WD GTDI (R$ 92.693).

Os dados constam do pedido de instauração de inquérito contra o presidente da Câmara, encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo procurador-geral em exercício Eugênio José Guilherme Aragão.

veiculos-cunha

“Segundo informações de fontes abertas, a frota de carros que Eduardo Cunha se utilizaria no Rio de Janeiro seria composta de diversos veículos, incluindo uma Porsche Cayenne, Touareg, Corol/a, Edge, Tucson, Pajero Sport. Este Porsche Cayenne é conduzido pela esposa de Eduardo Cunha, Cláudia Cordeiro Cruz”, afirma o procurador. “Em consulta às bases de dados do INFOSEG, verifica-se que realmente há diversos veículos registrados em nome de Cláudia Cruz e, em especial, em nome das empresas do casal.”

Outra parte da frota, segundo o documento, está em nome da empresa C3 Produções, também controlada pelo parlamentar – Pajero Spor Flex, 2010, Hyundai Tucson, 2009, I/LR Freelander 2 SEI, 2008, e uma BMW 3251, 1993.

Eduardo Cunha foi denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de ter recebido propinas sobre contratos da Petrobrás.

O presidente da Câmara negou o recebimento.

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.