Dilma vai escolher entre Janot, Bonsaglia e Raquel Dodge

Dilma vai escolher entre Janot, Bonsaglia e Raquel Dodge

Cabe à presidente indicar da lista tríplice o procurador-geral da República; nome será submetido ao Senado

Redação

06 Agosto 2015 | 00h14

Fotos: ANPR

Rodrigo Janot, Mario Bonsaglia e Raquel Dodge. Fotos: ANPR

Por Fausto Macedo e Julia Affonso

Os subprocuradores-gerais da República Rodrigo Janot (799 votos), Mario Bonsaglia (462) e Raquel Dogde (402 votos) foram escolhidos para compor a lista tríplice ao cargo de procurador-geral da República. A lista será submetido à presidente Dilma Rousseff (PT), a quem compete escolher o nome para o cargo. Dilma encaminhará ao Senado sua indicação para a sabatina.

Entenda a eleição para Procurador-Geral da República


Tradicionalmente, desde o primeiro governo Lula (2003/2006) o indicado é sempre o primeiro colocado da lista interna dos procuradores. Rodrigo Janot busca a recondução. Ele dirigiu o Ministério Público Federal nos últimos dois anos. Sob sua guarda está a superinvestigação de corrupção na Petrobrás que envolve pelo menos 52 políticos, entre deputados, senadores, governadores e ex-parlamentares.

Seu primeiro mandato termina dia 17 de setembro. O subprocurador-geral da República Carlos Frederico Santos também concorreu, mas com 217 votos, ficou fora da lista.

As informações sobre os resultados da eleição foram divulgadas pelo site do Ministério Público Federal. A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) promoveu a eleição. Os procuradores votaram entre 10 horas e 18h30 desta quarta-feira, 5.
A votação para procurador-geral bateu recorde – 983 procuradores participaram do pleito.

Para o presidente da entidade, José Robalinho Cavalcanti, a lista tríplice para procurador-geral da República ‘é um avanço institucional para a sociedade brasileira e apresenta nomes legitimados pelo reconhecimento da carreira’.

“Nessas eleições, batemos o recorde histórico em número de votantes: 79% do total de 1.244 associados participaram do pleito”, destacou.

De acordo com a Comissão Eleitoral da ANPR – composta pelos subprocuradores-gerais da República Oswaldo José Barbosa Silva e Paulo Gustavo Gonet Branco -, participaram 983 membros do Ministério Público Federal, ativos e inativos, associados à ANPR e foram registrados três votos nulos e 1.066 votos brancos.

Confira o currículo dos três nomes da lista tríplice para procurador-geral da República

1) Rodrigo Janot Monteiro de Barros: É o atual procurador-geral da República e tenta a recondução. Ele ingressou no MPF em 1984, atuou como secretário-geral do MPU e foi presidente da ANPR no biênio 1995/1997. Janot graduou-se em Direito pela UFMG e especializou-se na área de Meio Ambiente e Consumidor na Scuola Superiore di Studi Universitari, em Pisa, na Itália.

2) Mario Luiz Bonsaglia: Doutor em Direito pela Universidade de São Paulo, Bonsaglia foi conselheiro do CNMP por dois biênios (2009/2011 e 2011/2013). Atualmente integra o Conselho Superior do MPF (2014/2016). É coordenador da 7ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF. Atuou como procurador regional Eleitoral em São Paulo de 2004 a 2008.

3) Raquel Elias Ferreira Dodge: Especialista na área criminal, a subprocuradora-geral da República ingressou no MPF em 1987. Mestre em Direito pela Universidade de Harvard, é membro titular da 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF. Entre os casos emblemáticos, destaca-se a atuação de Raquel na investigação da Operação Caixa de Pandora.