Deputado tucano sai em defesa de chefe do Ibama afastado por corrupção

Deputado tucano sai em defesa de chefe do Ibama afastado por corrupção

Rogério Marinho (PSDB-RN) diz 'acreditar na idoneidade de Clécio Santos', alvo da Operação Kodama, que investiga supostas vantagens indevidas e prevaricação na Superintendência do Rio Grande do Norte; indicado pelo parlamentar ao órgão, o agente público foi afastado por decisão judicial nesta terça-feira, 12.

Luiz Vassallo

12 Setembro 2017 | 15h33

BRASILIA DF 21/02/2017 POLITICA Reformulação da Legislação do Esporte reunião de discussão e votação do Relatório Final – Final. Dep. Rogério Marinho (PSDB-RN) FOTO Cleia Viana /Câmara dos Deputados

O deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) elogiou, por meio de nota, nesta terça-feira, 12, o superintendente do Ibama no Rio Grande do Norte, afastado do cargo por decisão da 14.ª Vara Federal, em decisão que deflagrou a Operação Kodama, que o investiga por corrupção, prevaricação e lavagem de dinheiro.

Clécio foi assessor de Marinho, relator da Reforma Trabalhista na Câmara, e é pai do suplente de vereador Clecio Júnior (PSDB-RN), de Ceará-Mirim (RN).

Segundo a Polícia Federal, ‘foram identificadas pelo menos 10 condutas de favorecimento ilícito a pessoas físicas e jurídicas, as quais teriam sido beneficiadas indevidamente por meio da anulação de autos de infração, desembargo de atividade e restituição de bens apreendidos’.

“Mediante tais procedimentos, deu-se aparência de regularidade na aquisição de aproximadamente 8 toneladas de lagosta de origem não comprovada, como também, se conferiu legitimidade ao funcionamento irregular de empreendimento hoteleiro construído em área de preservação permanente e localizado na praia de Tibau do Sul”, afirma a PF.

O deputado afirmou que ‘a indicação de Clécio Santos para o IBAMA se deu pelos critérios técnicos e pelas qualidades profissionais do indicado reconhecidos, inclusive, pela sociedade potiguar’.

“Ademais, é necessário esclarecer que todo agente político deve está sujeito as fiscalizações dos órgãos de controle merecendo a ampla defesa nas investigações”, diz.

Rogério Marinho ainda diz acreditar na idoneidade de Clécio Santos e que, ao final tudo, restará esclarecido.

COM A PALAVRA, IBAMA

Brasília (12/09/2017) – A investigação que resultou na Operação Kodama, deflagrada nesta terça-feira (12/09) pela Polícia Federal (PF) no Rio Grande do Norte, teve apoio do Ibama e da Controladoria-Geral da União (CGU).

A Corregedoria do Ibama encaminhou ao Ministério do Meio Ambiente para julgamento, em 4 de julho de 2017, Processo Administrativo Disciplinar (PAD) que apurou irregularidades praticadas pelo superintendente do Instituto no Rio Grande do Norte, Clécio Antônio Ferreira dos Santos.

A investigação da PF foi baseada nos dados do PAD instaurado pelo Ibama e em relatório de auditoria da CGU.

O Ibama continuará atuando em parceria com a PF e os órgãos de controle para coibir irregularidades na Autarquia.

COM A PALAVRA, CLECIO

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Clécio Antônio Ferreira dos Santos, Superintendente do IBAMA/RN, por hora afastado de suas funções, em face da decisão proferida pelo Emin. Juiz Federal da 14° Vara, vem a público esclarecer que:

Entendo por bem, dizer antecipadamente, que não tenho qualquer relação espúria com terceiros investigados, seja pessoa jurídica, seja pessoa física, que não me utilizei do cargo para atender interesses pessoais e que toda minha trajetória está assentada na legalidade e na ética.

Reitero, finalmente, que exerço atividade profissional há 49 anos, servi a quatro governos estaduais, sem qualquer mácula em minha biografia.

NUNCA ROUBEI NEM DEIXEI ROUBAR, NUNCA DEI NEM RECEBI PROPINA, NUNCA CORROMPI NEM FUI CORROMPIDO, de modo que fico a total disposição das autoridades para esclarecer e colaborar com o desenrolar dos fatos, que, por si só, irão me inocentar.

Natal/RN, 12 de setembro de 2017

Clécio Antônio Ferreira dos Santos

Mais conteúdo sobre:

Rogério Marinho