Deltan a Renan, no Twitter: ‘Está errado, senador’

Deltan a Renan, no Twitter: ‘Está errado, senador’

Após procurador declarar que 2018 será a 'batalha final' da Lava Jato, senador peemedebista postou em seu Twitter que 'muitas investigações são políticas, sem provas, com delações encomendadas e objetivos pré-determinados'; também no Twitter, Deltan devolveu provocação

Julia Affonso

28 Novembro 2017 | 18h32

O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, rebateu o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) nesta terça-feira, 28, por meio de sua conta no Twitter. “Está errado, senador”, escreveu o procurador, em referência a uma provocação do peemedebista, segundo o qual ‘muitas investigações são políticas, sem provas, com delações encomendadas e objetivos pré-determinados’.

OUTRAS DO BLOG: + Por 2 a 1, Segunda Turma do STF rejeita habeas e mantém Cunha na cadeia da Lava Jato

Tribunal mantém bloqueio de R$ 16 mi de Lula

Plenário do CNMP arquiva por unanimidade apuração sobre palestras de Deltan

PF atribui lavagem de dinheiro e associação criminosa a Geddel e Lúcio por bunker dos R$ 51 mi

Ministro nega liminares e mantém na cadeia Picciani e Paulo Melo

+ Presidente do PR se entrega à PF

Na segunda-feira, 27, após uma reunião do núcleo duro da Lava Jato no Rio, Deltan declarou que 2018 será o ano da ‘batalha final’ da Lava Jato.

Segundo Deltan, ‘a maior ameaça ao combate à corrupção vem do Congresso’. Ele fez um apelo à população para que não vote nos políticos envolvidos nas investigações e, assim, promova uma renovação no Legislativo, a ponto de garantir a aprovação de leis anticorrupção.

Nesta terça, 28, Renan usou sua conta no Twitter e criticou a declaração de Deltan, mas não citou o nome do procurador. “A declaração de que ‘a batalha final será em 2018’ confirma que muitas investigações são políticas, sem provas, com delações encomendadas e objetivos pré-determinados. Daí os arquivamentos.”

No Twitter, o procurador devolveu a provocação. “Está errado, senador. A declaração de que 2018 é a batalha final da #LavaJato confirma que lideranças políticas corruptas são incapazes de fazer reformas anticorrupção, que precisam perder foro para ser responsabilizados e que continuam a ameaçar a Lava Jato.”