Delcídio ofereceu rota de fuga para Cerveró

Delcídio ofereceu rota de fuga para Cerveró

Oferta, que também beneficiaria André Esteves, aparece em áudio interceptado pela Polícia Federal

Andreza Matais, Beatriz Bulla, Ricardo Brito e Julia Affonso

25 Novembro 2015 | 08h44

Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobrás. Foto: André Dusek/ Estadão

Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobrás. Foto: André Dusek/ Estadão

A prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), líder do governo no Senado, e do banqueiro André Esteves, dono do BTG Pactual, foi motivada pela tentativa de evitar que o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró (Internacional) mencionasse ambos em sua delação premiada. Uma conversa do petista foi interceptada pela Polícia Federal. Delcídio do Amaral e André Esteves foram presos nesta quarta-feira, 25.

André Esteves e Delcídio do Amaral. Fotos: Estadão

André Esteves e Delcídio do Amaral. Fotos: Estadão

No áudio, ele faria propostas para pessoa do entorno de Cerveró com o objetivo de que seu nome e o de Esteves não aparecessem na delação premiada do ex-diretor. No áudio, Delcídio oferece rotas de fuga para Cerveró. O ex-diretor está preso em Curitiba, base da Lava Jato, desde janeiro deste ano.

Delcídio do Amaral foi levado para a Superintêndencia da PF, no Distrito Federal. Ele chegou às 8h15 em um carro da PF.

Cerveró já foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

COM A PALAVRA, A ASSESSORIA DO BTG PACTUAL:

“O BTG Pactual esclarece que está  à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários e vai colaborar com as investigações.”