Delator da JBS afirma que Padilha recebeu R$ 3 mi em propina na campanha/2014

Delator da JBS afirma que Padilha recebeu R$ 3 mi em propina na campanha/2014

Ricardo Saud, diretor de Relações Institucionais do Grupo, declarou à Procuradoria que naquele ano foi repassada a fortuna de R$ 150 milhões para campanhas do PT, incluindo a parte supostamente destinada ao então candidato do partido ao governo de São Paulo

Rodolfo Mondoni e Luiz Vassallo

19 Maio 2017 | 17h55

Foto: Jf Diório/Estadão

O diretor de Relações Institucionais e de Governo da JBS, Ricardo Saud, relatou ao Ministério Público Federal que o candidato do PT ao governo de São Paulo em 2014, Alexandre Padilha, recebeu R$ 3 milhões em doações ilícitas de campanha.

O executivo relatou que somente naquele ano, o Partido dos Trabalhadores recebeu R$ 150 milhões para a campanha, dos quais R$ 30 milhões foram repassados aos Diretórios Estaduais e candidatos ao governo de Estado.

Saud detalhou o valor entregue a mais três candidatos, além de Padilha. Segundo ele, o atual governador de Minas, Fernando Pimentel, também do PT, recebeu pelo menos R$ 30 milhões, Gleisi Hoffmann, senadora (PT/PR) e candidata derrotada ao governo do Paraná, R$ 5 milhões; e Antonio Gomide, de Goiás, R$ 2 milhões.