Cracolândia em um dia de ‘modelo’

Cracolândia em um dia de ‘modelo’

*Fernanda Alves

03 Setembro 2017 | 05h00

Calma, muita calma! Sei que a Cracolândia não é modelo para nada, mas os viciados que nela estão, sim! Por que não?

Conforme escrevi em outros artigos aqui publicados, tenho vários projetos em benefício dos dependentes químicos e vou contar, em primeira mão, um deles:

A ideia é transformar seis usuários da Cracolândia em modelos fotográficos.

Uma assistente social seleciona os usuários em um grau de dependência considerada ‘leve’ – senão não consigo sucesso nas fotos. Tem viciado que fuma crack a cada 10 minutos.

Três homens e três mulheres. Sim, eles vão ser modelos, top’s por um dia.

Você deve estar pensando… mas por que essa ideia?

Porque os viciados não se sentem gente. Eles merecem ter a oportunidade de aumentar sua autoestima, pois parte do tempo só recebem ‘bordoadas’, críticas.

São pessoas sensíveis ao extremo. Por isso, o uso das drogas.

Eles merecem uma atenção especial. Merecem se sentir amados.

Quem não gosta de se sentir amado?, acolhido?

O fotógrafo eu ainda estou selecionando, já que a ação será 100% voluntária e sem fins políticos e lucrativos.

Maquiadora eu já tenho, a produção e direção será toda minha, as mulheres escolhidas vão usar meu acervo pessoal, minhas roupas, meus sapatos. Sim, elas são gente como a gente, será um orgulho poder ver essas viciadas vestidas em uma roupa minha, seja ela de grife ou não.

Quanto aos rapazes busco doações, já que não tenho como vestí-los, e eles são bem mais fáceis na produção. Uma calça jeans, uma camisa e uma pose para as lentes de um fotógrafo.

Certamente vão se sentir ‘importantes’, é aí onde quero chegar, que eles se sintam muito importantes, nem que seja por um único dia.

A locação penso na própria Cracolândia.

Uns já vieram me perguntar: ‘mas você não tem medo daquele lugar, Fernanda?’

Não, nenhum, absolutamente nenhum medo, ainda mais pra fazer o bem.

O que necessito agora, e busco, é autorização do Ministério Público e dos Direitos Humanos, para que essa ação social e totalmente voltada para o bem, seja aprovada.

Será a maior satisfação que eu poderia ter na minha vida, por fazer um ser humano se sentir importante.

Fernanda Alves é Jornalista/Apresentadora, Embaixadora ‘S.O.S Dependentes Químicos’

Mais conteúdo sobre:

drogasCracolândia