Contra Lula

Contra Lula

Grupos organizam protestos na véspera de julgamento do ex-presidente no Supremo Tribunal Federal

Luiz Fernando Teixeira

03 Abril 2018 | 13h20

O Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem Pra Rua realizam nesta terça-feira, 3, protestos em defesa da prisão de Lula. Na quarta, 4, o Supremo Tribunal Federal julga pedido de habeas corpus preventivo do petista. Na prática, os ministros vão decidir se Lula vai para a prisão da Lava Jato, que o condenou a 12 anos e um mês de reclusão, ou se fica livre – desde antes do feriado da Páscoa, o ex-presidente está blindado por um salvo-conduto concedido pela Corte.

Estão programados atos liderados pelo MBL em 21 estados em pelo menos 80 cidades. Na capital paulista, a concentração acontece em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), às 19h. Já no Rio, o evento acontece na Praia de Copacabana.

Confira os locais e horários dos protestos do MBL:

Os organizadores fizeram uma vaquinha online para financiar os atos de rua. O objetivo do movimento era arrecadar R$ 11 mil, porém, até o início desta terça, eles já haviam coletado mais de R$ 18 mil. Interessados podem doar até quinta (5).

Outro grupo que irá se manifestar é o Vem Pra Rua, que promete mobilizações em mais de 100 cidades, inclusive no exterior – Santiago, Roma, Londres, Boston e Nova York. Os horários e locais dos atos no Brasil são próximos aos do MBL.

Em Curitiba, base e origem da Lava Jato, a concentração será nas imediações da sede da Justiça Federal, às 18h. No mesmo horário, militantes se reunirão em frente ao Congresso, em Brasília.

Confira os locais e horários dos protestos do Vem Pra Rua:

A análise do habeas corpus é decisiva para o futuro de Lula. Condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), Lula já teve seus recursos negados na segunda instância da Justiça Federal. O ex-presidente também não teve sucesso no pedido de habeas ao Superior Tribunal de Justiça.

A favor

Já O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva compareceu a um ato suprapartidário no Circo Voador, no Rio, nesta segunda-feira, 2. Participaram do evento a pré-candidata do PCdoB à Presidência, Manuela d’Ávila, o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, o ex-ministro Celso Amorim, o deputado federal Jean Wyllys e o cantor Chico Buarque.

“Eu não vim aqui pra defender minha candidatura, vim defender minha inocência, que eles precisam me devolver. Quero que parem de mentir a meu respeito. Digam a verdade. Quero ser julgado com base no mérito do meu processo. Espero que a Suprema Corte apenas faça Justiça. Não quero benefício pessoal. Mas não aceitei a ditadura militar e não vou aceitar a ditadura do MPF e do Moro”, disse Lula.