‘Chamamos a atenção do mundo’

‘Chamamos a atenção do mundo’

A 24 horas do Dia D de Lula, que se agarra a um derradeiro pedido de habeas preventivo no Supremo para se livrar da cadeia da Lava Jato, ex-procurador-geral da República posta nova mensagem em sua conta no Twitter sobre a necessidade da prisão em segunda instância

Luiz Fernando Teixeira e Fausto Macedo

03 Abril 2018 | 11h39

Rodrigo Janot. Foto: André Dusek/Estadão

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot voltou a recorrer às redes sociais, nesta terça-feira, 3, para revelar sua preocupação com o julgamento desta quarta, 4, no Supremo Tribunal Federal – os ministros vão por em pauta pedido de habeas corpus preventivo do ex-presidente Lula, um apelo derradeiro para tentar se livrar da prisão da Lava Jato, que o condenou a 12 anos e um mês de reclusão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do triplex.

“Chamamos a atenção do mundo”, anotou Janot.

Nos últimos dias, o ex-procurador-geral tem se empenhado na cruzada pela preservação da prisão imediata de condenados em segundo grau judicial. No domingo, 1, ele postou. “Vamos todos nos mobilizar? Cidadania ativa e proativa.”

Janot subscreve o super manifesto protocolado na segunda, 2, no Supremo – mais de 5 mil promotores, procuradores e magistrados endossam Nota Técnica pela prisão já de apenados por colegiado.

O mais recente post de Janot, nesta terça, 3, faz alusão direta a uma entrevista publicada pela BBC Brasil com o chefe anticorrupção da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o esloveno Drago Kos.

Drago Kos adverte que uma eventual mudança na decisão do Supremo ergueria dúvidas sobre o embate contra a corrupção e malfeitos no Brasil, sobre o sentido da Operação Lava Jato e seria encarada como ‘sinal muito ruim’ para a comunidade internacional.

“Espero que possamos enviar um sinal positivo”, escreveu Janot.

Mais conteúdo sobre:

rodrigo janotLulaSTF