Brasil discute como enfrentar tráfico de pessoas

Seminário internacional organizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública com apoio do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas vai permitir troca de informações entre países

Luiz Vassallo

12 Setembro 2017 | 17h43

O Brasil vai sediar o I Seminário Internacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Contrabando de Migrantes nos dias 19 e 20 de setembro, no Rio. O evento, organizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública com o apoio do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC), possibilitará troca de informações entre alguns países que se dedicam ao combate do tráfico de seres humanos.

Segundo o Ministério da Justiça, o encontro vai permitir a coleta de subsídios para iniciar a construção do 3.º Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Organismos internacionais como Agência da ONU para Refugiados (Acnur), Organização Internacional para as Migrações (OIM) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) vão contribuir para a elaboração do próximo plano.

O evento contará com a participação de 150 parceiros que atuam no enfrentamento ao tráfico de pessoas e na política migratória em todo o Brasil.


Recentemente, o Brasil teve uma mudança no marco legal do tráfico de pessoas (Lei 13.344/16). “A alteração requer uma atuação incisiva para a disseminação da lei e provocará mudanças no desenho da Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas”, informou o Ministério da Justiça.

Segundo a Pasta, o seminário ‘será uma oportunidade para debater as implicações do novo marco regulatório’.