A goleada do Picciani

A goleada do Picciani

Por 39 a 19, a Assembleia Legislativa do Rio derrubou nesta sexta-feira, 17, o decreto de prisão contra presidente da Casa e outros dois parlamentares do PMDB acusados de propinas milionárias no setor de transportes

Constança Rezende / RIO

17 Novembro 2017 | 17h03

Placar favorável a Picciani na Assembleia Legislativa Foto: Constança Rezende

Por 39 a 19, Assembleia Legislativa do Rio derrubou nesta sexta-feira, 17, o decreto de prisão contra presidente da Casa, Jorge Picciani e outros dois parlamentares do PMDB, Paulo Melo e Edson Albertassi, acusados de propinas milionárias no setor de transportes.

Os deputados estaduais foram presos preventivamente nesta quinta-feira, 16, por decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Dependia da aprovação dos parlamentares a manutenção da ordem da Corte. No entanto, um parecer pela revogação das cautelares emitido pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa foi endossado pelo plenário.

Presos em desdobramento da Operação Lava Jato, eles são investigados por crimes conexos com as demais fases das investigações no Rio: Saqueador, Calicute, Eficiência, Quinto do Ouro e Ponto Final.

Segundo a Polícia Federal, a investigação aponta a existência de clara atuação legislativa desses parlamentares em favor dos interesses da Fetranspor, indicando também uma grande evolução patrimonial dos envolvidos desde que ingressaram na atividade política; e incompatível com os rendimentos inerentes aos cargos ocupados. A Receita Federal também auxiliou nas investigações.