1. Usuário
Assine o Estadão
assine

O tempo do luto e o tempo das redes

13 agosto 2014 | 19:23

A reação nas redes parece indicar um abreviamento do período de luto, resta saber quanto tempo durará a cordialidade política.

Por Luiz Fernando Moncau e Marina Barros*

O Brasil foi surpreendido na manhã de hoje com a notícia de que o candidato à Presidência da República, Eduardo Campos, faleceu em um acidente de avião. Há grande incerteza sobre como esse triste fato irá impactar o cenário eleitoral brasileiro, entretanto, a repercussão nas redes aponta alguns desdobramentos.

Se o tempo da Justiça eleitoral parece curto diante dessa situação (o partido e a coligação têm 10 dias para indicar um substituto), o tempo das reações na internet é menor ainda. A hashtag #ripEduardoCampos alcançou (ainda que brevemente) o primeiro lugar mundial nos trending topics do Twitter e as redes sociais foram inteiramente tomada por mensagens de solidariedade, piadas e teorias conspiratórias. Dentre as mensagens que circularam nesta tarde, está uma foto da atual presidente legendada “Mandei derrubar mesmo. Se reclamar derrubo o do Aécio” ou mesmo o hashtag “Foi a Dilma” que chegou ao décimo lugar dos trending topics mundial no Twitter e pelo qual se atribuia à Dilma a responsabilidade pelo acidente.

Este fluxo de mensagens e memes (montagens de fotos, videos e piadas) é algo que caracteriza a rede. E de impossível controle. Não se sabe quem é o autor da imagem legendada e se suas intenções são meramente humorísticas ou eleitorais. Desse modo, há pouco que a lei e a Justiça possam fazer. Mas há a certeza de que este tipo de conteúdo tem grande poder de viralização, replicando-se rapidamente em grupos de WhatsApp, Twitter e Facebook. Saberá o eleitor menos instruído separar a piada dos fatos concretos? Ou se deixará contaminar?

Muito mais solene e equilibrada foi a reação dos sites oficiais de campanha e das militâncias de todos os partidos, que lamentaram o ocorrido. Se até ontem o comportamento dos perfis dos partidos e da militância era de forte embate (o MudaMais chegou a usar a tag #SabeDeNadaDudu, reagindo à entrevista de Campos ao Jornal Nacional), hoje o tom foi radicalmente diferente, replicando mensagens de solidariedade dos candidatos concorrentes. O site oficial da campanha de Campos traz nesse momento uma tela preta com uma mensagem de luto do PSB e outra da Rede Sustentabilidade.

A reação nas redes parece indicar um abreviamento do período de luto pelo ex-candidato, pela sua família e pelos demais passageiros de sua comitiva. A lei eleitoral, confere 10 dias para as forças políticas que sustentavam Campos se reorganizarem. Resta saber quanto tempo durará a cordialidade política. Nas redes, aparentemente ela nunca existiu.

*Luiz Fernando Moncau e Marina Barros são pesquisadores do Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV Direito Rio