Tifanny entra no MDB e pode concorrer à Câmara

Tifanny entra no MDB e pode concorrer à Câmara

Coluna do Estadão

11 Abril 2018 | 05h30

FOTO: Divulgação

Destaque na Superliga Feminina e primeira jogadora trans a disputar o campeonato, Tifanny Abreu se filiou ao MDB e estuda convite para concorrer a deputado federal por São Paulo. Ela ingressou na legenda no último dia do prazo da Justiça Eleitoral. A decisão vinha sendo mantida em sigilo entre emedebistas. Ontem, a jogadora assinou contrato com o novo time do Sesi Vôlei Bauru e vai permanecer na equipe para a temporada 2018/2019.

Estratégia. A prioridade do partido de Michel Temer é eleger o maior número de congressistas para manter sua força no Congresso nos próximos quatro anos. Para isso, vai destinar a maior parte do fundo eleitoral aos parlamentares que buscam se reeleger.

Sem choro… Candidatos do MDB ao governo foram informados de que terão cerca de R$ 4 milhões cada do fundo eleitoral para fazer campanha. Não importando o tamanho do Estado pelo qual vão disputar. Os deputados, R$ 1,5 milhão.

…nem vela. Quem não quiser tirar dinheiro do próprio bolso terá de baratear o custo da campanha. Na última eleição, a média de gastos foi de R$ 20 milhões.

Venham todos. Lideranças do PT escalaram deputados para tentar convencer aliados de partidos do centro a visitar o ex-presidente Lula na prisão. A intenção é mostrar que o apoio a ele é suprapartidário.

Não é festa. Consultores do Congresso dizem que qualquer parlamentar pode entrar no sistema prisional para fiscalizá-lo. Mas valer-se dessa condição para contornar regras de visitas aplicáveis a todos os demais detentos é questionável.

Prato feito. O presidente Michel Temer enviou uma lista com os nomes dos novos ministros para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), depois de tê-los nomeados. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), nem isso recebeu. A atitude foi considerada como desaforo.

Momento bafão. Um dos assuntos da conversa entre Temer e Gilmar Mendes, ontem, foi o critério de indicação de juízes, incluindo erros e acertos. A avaliação gerou risos de ambos. Recentemente, Mendes disse que Lula “escolheu ministros ruins” para o STF.

É guerra. Ministros do Supremo favoráveis à prisão após 2.ª instância apostam que os opositores vão para o “tudo ou nada” hoje.

Nem aí. O ministro Alexandre de Moraes disse a interlocutores que não muda seu voto pela prisão após 2.ª instância. Mesmo que seus amigos tucanos estejam na linha de tiro.

CLICK. Deputados que apoiam o ex-presidente Lula erraram a grafia do primeiro nome dele, que é com z e não com s, em carta de repúdio à restrição de visitas na prisão.

FOTO: NAIRA TRINDADE

Esquece. Nem mesmo os mais fiéis escudeiros de Temer apostam que o Congresso vá votar a privatização da Eletrobrás. Em ano eleitoral, o aviso de deputados é claro: nem tentem.

Raspando o tacho. O governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), desistiu de disputar a eleição para o Senado. Permaneceu no cargo, o que lhe garante foro privilegiado, até dezembro.

SINAIS PARTICULARES: Simão Jatene (PSDB), governador do Pará; por Kleber Sales

Provocação. Assim que se filiou ao PSB, Joaquim Barbosa recebeu um telefonema do senador João Capiberibe (AP) convidando-o para ir a São Bernardo prestar solidariedade ao ex-presidente Lula, que acabara de ter a prisão decretada. Barbosa desconversou.

PRONTO, FALEI! 

Foto: André Dusek/Estadão

“Navegamos na incerteza do que vai acontecer no processo eleitoral”, DO SENADOR ARMANDO MONTEIRO (PTB-PE), sobre as consequências da crise política nas eleições de outubro.

COM NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA. COLABORARAM JOSÉ ALBERTO BOMBIG E PAULO FAVERO 

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão