Temer defende novas leis trabalhistas. Assista ao vídeo:

Luiza Pollo

11 Novembro 2017 | 18h32

O presidente Michel Temer gravou um vídeo para as redes sociais  incentivando empresários a aderirem às novas leis trabalhistas, como antecipou ontem a Coluna do Estadão. Leia a mensagem dele ou assista ao vídeo clicando aqui.

 

Mensagem gravada pelo presidente:

Minhas amigas, meus amigos.

Uma das medidas mais importantes do nosso governo foi a modernização das relações de trabalho.
A nova lei trabalhista entrou em vigor neste sábado. Para ela, muito colaborou o ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira.

Fiquei muito satisfeito em saber que existem pesquisas mostrando que os jovens têm expectativa muito positiva com essa modernização da lei trabalhista.
E ouço relatos de empresários que as contratações aumentarão a partir de agora.

Os jovens estão certos. Perceberam que finalmente conectamos o mundo do trabalho no Brasil ao século 21.

Agora, com a jornada parcial, os estudantes terão mais chance de obter uma colocação, com todos os direitos garantidos, sem risco de interromper os estudos.

Mães e pais, por exemplo, que queiram conciliar a atividade profissional com a atenção à família poderão também se beneficiar da meia jornada. Também é uma opção para quem quer se qualificar melhor.

Profissionais das mais diversas áreas passam a poder trabalhar em casa.
Agora, há regras claras para o chamado trabalho remoto.

A nova lei amplia os horizontes para quem procura um emprego e para quem está empregado.
E com segurança jurídica, pois é uma lei aprovada pelo Congresso, sancionada pela Presidência da República, após amplo debate na sociedade.

É um novo tempo.

O Brasil voltou a crescer e o desemprego cede. O IBGE mostrou que, no último trimestre, a população ocupada aumentou em 1 milhão e 100 mil pessoas.

Com a nova lei, vamos acelerar a recuperação dos empregos.

18 milhões de pessoas que hoje trabalham precariamente, na informalidade, terão seus direitos assegurados graças a essa nova lei.

Ocupações que hoje funcionam como “bicos” ou “extras” passam a ter proteção e garantias trabalhistas.

Não sejam, portanto, enganados, meus amigos e minhas amigas, por falsas informações: todas as novas formas de contratação aqui mencionadas, inclusive a chamada jornada intermitente, exigem carteira assinada, com férias, décimo terceiro salário, INSS, e fundo de garantia proporcionais.

Essa é a verdade. As mudanças que estamos fazendo são para consolidar e ampliar o trabalho digno no País, abrindo mais oportunidades para todos.

Tudo indica que teremos um natal melhor, com mesa mais farta e mais presentes para a família. É muito bom que seja assim.

Os que apostaram no pessimismo não prosperaram: o Brasil se mostrou maior do que todas as dificuldades.

Os brasileiros querem paz para trabalhar e merecem chegar ao final deste ano com esperanças renovadas.

Continuaremos a buscar, junto com nosso povo, novas conquistas.

Vamos em frente e muito obrigado a todos.