Supremo muda feriado do Judiciário de sábado para sexta

Supremo muda feriado do Judiciário de sábado para sexta

Coluna do Estadão

25 Outubro 2017 | 05h30

Prédio do Supremo Tribunal Federal. Foto: Divulgação

 

Com direito a 60 dias de férias e cinco feriados a mais do que os fixados em lei, o Supremo criou mais um descanso prolongado neste ano para ministros e servidores. Sob o comando da ministra Cármen Lúcia, a Corte transferiu o Dia do Servidor Público, que cai no sábado, 28, quando não há expediente, para uma sexta-feira, 3, dia normal de trabalho. Com a medida, salvou o feriado, que seria perdido, e ainda esticou a semana de Finados. Dia 1.º de novembro, quarta-feira, já não trabalham por ser feriado do Judiciário; dia 2, quinta-feira, é Finados e dia 3 (sexta), que não seria feriado, agora é.

Trem da alegria. O STJ copiou a decisão do Supremo e também transferiu o Dia do Servidor Público de sábado para sexta.


Todo mundo faz…A diretoria-geral do Supremo justifica que apenas seguiu uma praxe adotada pela Corte e que a medida visa agradar aos servidores.

Apostas. A tropa de choque de Michel Temer calcula que a 2.ª denúncia contra ele será derrubada hoje com mais votos do que a 1.ª, quando 263 deputados pediram arquivamento. Já o Centrão se movimenta para não dar quórum.

Oi, é o presidente. O presidente Temer não fará pronunciamento ao final da votação da 2ª denúncia pela Câmara. Mas vai mandar mensagem aos deputados que votaram para ajudá-lo.

Doria ajuda. O deputado Beto Mansur (PRB-SP) pediu socorro ao prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), para tentar conseguir o voto do deputado Alexandre Leite (DEM-SP) a favor de Temer.

Deixa comigo. Segundo relatos, Doria se dispôs a conversar com o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Milton Leite (DEM), pai do deputado. Na 1.ª vez, ele se absteve.

Estilo. Interlocutores de Temer afirmam que João Doria ajudou como pôde a conseguir votos pró-Temer. Não dizem o mesmo do governador Geraldo Alckmin.

Não deu. O presidente Temer entrou em campo. Telefonou para o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) e pediu seu voto contra a 2.ª denúncia. O demista disse que Temer é “jeitoso”, mas votará pela abertura do processo.

É a rede. Sóstenes fez uma pesquisa e constatou que seu eleitor exige voto pela continuidade das investigações. “Se eu contrariar, perco muito nas eleições.”

Decidiu. Relatora da reforma política, a tucana Shéridan Estérfany (RR), que se ausentou na 1.ª denúncia, vota contra Temer.

SINAIS PARTICULARES: Deputada Shéridan (PSDB-RR), por Kleber Sales

Treino. Concluída a votação da 2ª denúncia contra Temer, o governo vai colocar a reforma tributária em votação antes da reforma da Previdência. O objetivo da inversão de prioridade é testar a fidelidade da base.

Recuou. Michel Temer mandou derrubar a propaganda que iria comparar a sua gestão à vitoriosa seleção de Tite. A ameaça de processo do técnico da seleção e do ex-técnico Felipão, que seria comparado a Dilma, pesou na decisão.

Pro arquivo! Na peça, aparecia a foto do ‘gaúcho da copa’, famoso ao chorar no 7 a 1. Ele morreu em 2015.

Fui. O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) vai se licenciar do mandato por quatro meses. Justifica que sai em protesto contra a volta de Aécio Neves, seu colega de partido, ao Senado.

CLICK. Na semana do aniversário do Rei Pelé, o ministro Gilmar Mendes postou foto ao lado do ex-jogador. Na ocasião, Mendes era chefe da AGU e recebeu a biografia de Pelé.

FOTO: TWITTER GILMAR MENDES

 

PRONTO, FALEI! 

“A pior coisa do mundo é o intermediário”, DO DEPUTADO HERÁCLITO FORTES (PSB-PI) atribuindo a crise entre os presidentes Michel Temer e Rodrigo Maia a “fofocas”.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA 

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão