STF racha sobre punir desobediência de Renan

STF racha sobre punir desobediência de Renan

.

Luiza Pollo

08 Dezembro 2016 | 05h00

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O próximo round no STF envolvendo Renan Calheiros será a decisão se ele deve ser punido por ter ignorado a ordem da Corte de se afastar da presidência do Senado. Parte dos ministros avalia que, como foi derrubada, a liminar perdeu seu efeito. Mas há também os que defendem que é preciso puni-lo. A maioria concorda num ponto: Renan só permaneceu no comando do Senado porque a decisão de Marco Aurélio Mello era tecnicamente fraca. A avaliação de vários integrantes do Supremo foi de que Mello os colocou numa enrascada.

Um ministro que defende enterrar o assunto justifica: “O Congresso pode estar enfraquecido pelas críticas da opinião pública, mas não está morto”. Teme que o Judiciário seja retaliado com a votação de medidas indesejáveis.

Ontem, deputados já comemoraram a decisão do Supremo não por ter beneficiado Renan Calheiros, mas porque “deuses supremos” foram desmistificados.

Os ministros do STF estavam cientes da reação das ruas quando decidiram manter Renan Calheiros na presidência do Senado. “Não dava para votar só para ficar bem com as ruas.” A aposta é de que logo a situação se reverta. O STF analisará se Renan vira réu em 11 processos. 

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Mais conteúdo sobre:

Renan CalheirosSTF