Receita “recepciona” comitiva presidencial na volta da China

Receita “recepciona” comitiva presidencial na volta da China

Naira Trindade

06 Setembro 2017 | 17h33

 

Comitiva ao desembarcar em Brasília nesta quarta. Reprodução da NBR

Numa ação inusitada, a Receita Federal recepcionou a comitiva que desembarcou do avião presidencial, na manhã desta quarta-feira, 6, em Brasília, após viagem de 30 horas de retorno da China. Três fiscais da Receita foram conferir as mercadorias que os deputados traziam da China. No trajeto de volta ao Brasil, a comitiva fez uma parada no Cazaquistão para abastecer a aeronave. Lá, os deputados encomendaram ao cônsul que comprasse uma caixa de vinhos. Fizeram uma vaquinha e pagaram US$ 100 no produto (custava U$80, mas o vendedor alegou não ter troco). Os deputados disseram que o vinho (que reclamaram depois ser de qualidade duvidosa) foi todo consumido durante o trajeto de volta, ainda na aeronave. Até o presidente Michel Temer bebeu do vinho, contam os deputados. Ao desembarcar, em Brasília, três fiscais da Receita esperavam a comitiva. Mas não chegaram a abrir as bagagens. Não havia mais vinhos. Os fiscais, então, deram carona aos deputados Beto Mansur e Fábio Ramalho para aquela passadinha ao Dutyfree. Fabinho pegou uma caixa de uísque e Beto Mansur comprou um perfume para a mulher.  Para a Receita, “a fiscalização dos viajantes que compunham a comitiva presidencial transcorreu normalmente, sem nenhum fato extraordinário”.