‘Que País é este?’, disse Wesley Batista ao ser preso

‘Que País é este?’, disse Wesley Batista ao ser preso

Coluna do Estadão

16 Setembro 2017 | 05h30

Foto: Rafael Arbex /Estadão

Wesley Batista repetiu o ex-diretor da Petrobrás Renato Duque ao ser preso na quarta, 13. Informado de que, além do mandado de busca e apreensão, a Justiça também havia autorizado sua prisão, colocou a mão na cabeça, deu um chute no chão e soltou um “Que País é este?”. Ele foi detido por suspeita de lucro ilegal no mercado financeiro, fato sem relação com a delação que lhe garantiu perdão judicial. Seu irmão, Joesley Batista, nas gravações que fizeram a maré virar contra si, havia demonstrado confiança: “Nós não vai ser preso”.

Vai pedir música. O empresário também foi preso por suspeita de crime financeiro e, ao contrário de Wesley, Joesley pode perder a imunidade judicial por ter omitido fatos na delação. Já são dois mandados contra ele.

Deluxe. Joesley Batista perdeu a liberdade, mas não a classe. Embarcou ontem no avião da PF rumo a São Paulo carregando uma mala Rimowa, considerada uma das marcas mais luxuosas (e caras) do mundo.

Pra depois. Alegando que não poderá estar presente, a defesa de Aécio Neves pediu ao ministro Marco Aurélio Mello que prorrogue o julgamento do pedido de prisão do tucano do dia 19 para 26. O ministro decidiu atendê-los.

Junto e misturado. O motivo da ausência: Alberto Toron estará em Portugal comemorando o aniversário do criminalista Kakay. A festa vai juntar as defesas de Aécio e Joesley.

Próximo. Ministros da 1.ª Turma disseram à Coluna que a prisão deve ser rejeitada. Aécio é acusado de receber propina da JBS.

Nem te vi. Apesar de participarem juntos de evento no Rio de Janeiro, ontem, o presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, praticamente não se falaram.

Hum hum. Interlocutores de Temer juram que não há climão entre o presidente e Maia por ele ter avaliado como “grave” a segunda denúncia de Rodrigo Janot.

SINAIS PARTICULARES – MICHEL TEMER E RODRIGO JANOT
ILUSTRAÇÃO – KLÉBER SALES

Fala… Geraldo Alckmin e FHC foram procurados por interlocutores de Michel Temer interessados em saber como vão se comportar perante a segunda denúncia contra o presidente.

…Que te escuto. Na 1.ª, eles defenderam a investigação. Agora, Alckmin está uma incógnita e FHC teria dito que, se Temer não saiu até hoje, que fique.

Aproveitando. O apelo do ministro Torquato Jardim para que Leandro Daiello permanecesse por mais um tempo no comando da Polícia Federal foi feito ainda no avião durante viagem oficial dos dois ontem.

Grande novidade. Desde que a PF encaminhou nesta semana para o Supremo conclusão do inquérito que acusa Temer de corrupto, já se apostava que a saída de Daiello seria adiada.

Agora fica. Qualquer movimento agora poderia ser lido como interferência do Planalto na cúpula da PF.

CLICK. Depois de passar por exame de corpo de delito, o ex-ministro Geddel Vieira Lima foi levado à ala A da Papuda onde são acomodados, geralmente, ex-policiais.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Novelão. O racha no PMDB pernambucano causado pela filiação do senador Fernando Bezerra vai longe. Segunda será feito, em Recife, ato público de apoio a Jarbas Vasconcelos, opositor de Bezerra.

Missão espinhosa. O líder do PMDB na Câmara,Baleia Rossi (SP), vai relatar o pedido de dissolução do diretório do partido em Pernambuco para que a legenda saia das mãos do vice-governador Raul Henry e passe para Bezerra.

Mimo. Bolsonaro será presidente de honra do PEN.

 

PRONTO, FALEI!

“Não sou uma geladeira de ódio”, DO VICE-PRESIDENTE DA CÂMARA DEPUTADO FÁBIO RAMALHO (PMDB-MG), dizendo que não guarda rancor do ministro Antonio Imbassahy a que acusa de não atender seus pleitos no governo.

 

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
@colunadoestadao
Facebook:
facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
@colunadoestadão

Mais conteúdo sobre:

Wesley BatistaJBSLegião Urbana