PSDB pede para não relatar denúncia contra Temer na CCJ

PSDB pede para não relatar denúncia contra Temer na CCJ

Coluna do Estadão

20 Setembro 2017 | 05h30

Rodrigo Pacheco, presidente da CCJ/Reprodução Facebook

 

Coordenador da bancada tucana na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, o deputado Betinho Gomes (PE) procurou ontem o presidente do colegiado, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), pedindo que não entregue a nenhum parlamentar do PSDB a relatoria da nova denúncia contra o presidente Michel Temer. Como o partido se dividiu na primeira votação, quer evitar repetir o constrangimento que ocorreu quando Paulo Abi Ackel (PSDB-MG) assinou relatório que absolveu Temer, se alinhou ao Planalto e expôs a divisão interna. Segundo Betinho, Pacheco ficou de avaliar.

Furacão. Mais do que as denúncias, o governo colocou na conta de Gisele Bündchen a nova queda de popularidade de Temer revelada na pesquisa CNT. A modelo criticou o governo no episódio da Reserva Ambiental do Cobre (Renca).

Até agora… Chamou a atenção entre políticos tucanos o fato de o desempenho de Lula na pesquisa da CNT ainda não ter sido afetado pelas acusações do ex-ministro Antonio Palocci.

Festa do caqui. Mesmo interino na Presidência, Rodrigo Maia passou as últimas 48 horas tentando dobrar resistências para aprovar ao menos a cláusula de barreira e o fim das coligações proporcionais na reforma política.

SINAIS PARTICULARES: Rodrigo Maia, presidente da Câmara/Por Kleber Sales

 

Tem que mudar. Ministros políticos do governo apoiam o fim das coligações. Dizem que num governo de coalizão é impraticável negociar com 22 siglas.

É a vida. A avaliação é de que apenas os grandes conseguirão sobreviver caso as coligações sejam proibidas, uma vez que os pequenos dependem das alianças para eleger seus candidatos.

Sem crise. Dos 35 partidos registrados na Justiça Eleitoral, 10 não possuem parlamentares. Esses partidos receberam até julho, R$ 16 milhões do fundo partidário. O “famoso” PSDC recebeu sozinho R$ 3 milhões.

Insistentes. Após fracassar na tentativa de demitir o ministro Antonio Imbassahy, da Secretaria de Governo, o novo foco do Centrão é o cargo do ministro Bruno Araújo (Cidades), também do PSDB.

Grilo falante. O deputado Carlos Marun (MS) é o único que tem quebrado o silêncio do grupo de Whatsapp da bancada do PMDB em relação à denúncia contra Temer. “Quero ver qual vai ser o correligionário que vai ter a coragem de votar a favor do PGR?”, pergunta, sem obter resposta.

Hum. Poucos ministros do STF foram à festa de posse de Raquel Dodge. Entre eles Marco Aurélio Mello e Alexandre de Moraes, um dos últimos a sair. Já o grupo ligado ao ex-PGR Rodrigo Janot foi à festa.

Barrados. Raquel não quis convidar investigados na Operação Lava Jato.

É pra torrar. Vai a leilão no dia 16 bens de Alberto Youssef apreendidos na Lava Jato. No pacote, imóveis em Salvador e Aparecida (SP), incluindo apartamentos num hotel, com preço inicial de R$ 120 mil cada.

CLICK. Gisele Bündchen e Marina Silva se encontram na ONU, em Nova York, na cúpula feita para o lançamento do Pacto Mundial para o Meio Ambiente.

Foto: Facebook Rede

 

 

Voo internacional. João Doria será um dos palestrantes na reunião anual do Fórum Econômico Mundial, em janeiro de 2018, em Davos. O convite, já aceito, partiu de Klaus Schwab, fundador do fórum.

Preparação. O tucano recebeu ontem o economista Octavio de Barros, representantes da Apex, da SP Negócios e do governo de SP. Em pauta, a edição latino-americana do fórum.

Pronto, Falei!

“Janaína Paschoal ou não usa óculos de leitura ou não quer ler as palavras do general”, do deputado Ivan Valente (PSOL-SP) sobre a defesa que ela fez do general Mourão ao dizer que não falou em golpe.

 

Mais conteúdo sobre:

ccjBetinho GomesPSDB