Por Planalto, Meirelles ouve até Duda Mendonça

Por Planalto, Meirelles ouve até Duda Mendonça

Luiza Pollo

23 Fevereiro 2018 | 05h30

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda; por Kleber Sales

Em busca de emplacar sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto, o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) consultou vários marqueteiros nos últimos meses sobre como ganhar visibilidade e de que forma poderiam ajudá-lo. Entre eles, falou com Duda Mendonça, que fez as campanhas vitoriosas de Paulo Maluf e Lula, e o publicitário Eduardo Fischer, que atende empresas da J&F. Não os contratou. Pesquisas indicam que Meirelles é desconhecido do eleitorado, que também não reconhece nele o responsável pela melhora na economia.

Com a palavra. Meirelles disse, por meio da assessoria de imprensa, que não comenta boatos.

Bom pro ego. Duda Mendonça disse a interlocutores que saiu animado da conversa com o ministro da Fazenda por saber que ainda é uma referência como marqueteiro de campanha. Ele se afastou das eleições depois de cair no mensalão.

Lição de casa. O ministro Gilmar Mendes vai analisar no final de semana o pedido de Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, para que investigação contra ele seja avaliada pelo Supremo e não pela Justiça paulista.

Enigma. Suspeito de ser operador do PSDB paulista, o ex-diretor da Dersa tinha R$ 113 milhões na Suíça. A pessoas próximas, diz que é adepto da “teoria do abraço do gambá”, ou seja, morre agarrado a quem estiver com ele. Se vai cheirar mal, depende da companhia.

Cálculo… Defensor do atrelamento automático à candidatura de Aécio Neves (PSDB) ao Senado, o ex-governador de Minas Alberto Pinto Coelho perdeu a presidência estadual do PP.

…frio. O PP colocou na vaga o deputado federal Renzo Braz, que vai levar o partido a apoiar na eleição estadual de Minas quem ajudar a sigla a eleger o maior número de congressistas em outubro.

De casa nova. Em meio a crise de imagem, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, contratou o publicitário Daniel Braga para cuidar da comunicação digital do seu governo. Braga também atende o prefeito de SP, João Doria, e já trabalhou com Michel Temer.

DataMarun. A assessoria do ministro Carlos Marun, responsável pela articulação política do governo, telefonou esta semana para gabinetes de deputados perguntando, sem explicar o motivo da enquete, qual religião o parlamentar segue.

SINAIS PARTICULARES: Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo; por Kleber Sales

 

No forno. O ministro Helder Barbalho (Integração) assinou a demissão do presidente da Sudeco, Antônio Carlos Oliveira. No lugar entrará Marcos Henrique Derzi, indicado pelo ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo).

Causa. O governo não gostou de ele dizer à Coluna que vai disputar a vaga de candidato do MDB ao Planalto e insinuar que recebeu oferta de ministério para desistir da ideia.

CLICK. A militância paulista do PSDB quer que o senador Aloysio Nunes dispute prévias com outros tucanos interessados em concorrer ao Senado por São Paulo.

FOTO: REPRODUÇÃO

Quase. A AGU enviou ao Supremo posicionamento favorável ao autofinanciamento de campanha pelos candidatos. Falta agora a PGR se manifestar para o ministro Dias Toffoli devolver o assunto para votação.

Barreira. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, é contra o duplo mandato para o presidente do BC e não vai pautar o tema.

Calma, gente. Aliados do PSB admitem que a aproximação do partido com Geraldo Alckmin assustou Joaquim Barbosa, convidado a se filiar à sigla para disputar a Presidência.

PRONTO, FALEI! 

Deputado Glauber Braga FOTO: Câmara

“O ministro não pode querer calar o pensamento crítico na sociedade brasileira”, DO DEPUTADO GLAUBER BRAGA (PSOL-RJ), sobre o ministro Mendonça Filho judicializar o “Curso do Golpe” na UnB.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão