Planalto quer candidato único da base em 2018

Planalto quer candidato único da base em 2018

Luiza Pollo

22 Setembro 2017 | 05h30

Um novo componente político deve esquentar ainda mais a disputa interna do PSDB para definir seu candidato à sucessão presidencial de 2018. A cúpula do governo se movimenta para que a base aliada de Michel Temer tenha um candidato único e que esse nome seja escolhido em conjunto. O recado é claro: não ficará restrita ao PSDB a decisão de lançar o governador Geraldo Alckmin ou o prefeito João Doria. No governo, a avaliação é que, se o PSDB se recusar a ouvir a opinião dos aliados, “marchará sozinho” na disputa presidencial.

Na roda. A ideia é que todos os potenciais nomes da base sejam analisados pelos 11 partidos – o que poderá incluir o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), ou o senador José Serra (PSDB-SP).

Vem pra cá. Aliás, o PMDB está interessadíssimo em atrair José Serra para suas fileiras. Até como uma das alternativas para concorrer ao Planalto.

Barulho à vista. Em guerra declarada, PMDB e DEM terão novo embate à vista. No dia 4 de outubro, o PMDB vira MDB e pretende rejuvenescer a legenda usando apenas a marca “Movimento” ou “Move”.

Só que… “Movimento” era um dos nomes preferidos do DEM para batizar o seu projeto de repaginação. Os dois partidos disputam a filiação de novos quadros.

Boca fechada…O ministro Maurício Quintella (Transportes) manteve silêncio ontem sobre a venda de áreas comerciais pela Infraero em meio ao pacote de concessões. A interlocutores, diz que só vai falar quando tiver o que dizer.

Tem de tudo. O criminalista Gamil Foppel diz que tem sido vítima de fake news desde que acionou a Justiça para que Geddel Vieira Lima fosse solto por risco de estupro. Vê relação com sua candidatura à presidência da OAB-Bahia.

Sombra. Após tirar Geraldo Alckmin do sério, o deputado Major Olímpio mandou a assessoria lhe informar toda agenda do tucano.

Bateu… José Yunes, amigo de Temer, vai processar Lúcio Funaro por denunciação caluniosa. A ação é preparada pelo criminalista José Luis Oliveira Lima.

…Levou. Funaro processou Yunes por calúnia e difamação alegando ser mentirosa afirmação de que recebeu dele um “pacote” em 2014. O operador perdeu a ação.

Só que… Em delação, Funaro confirmou a versão de Yunes e acrescentou que no “pacote” tinha R$ 1 milhão. A história do “pacote” foi revelada pela Coluna do Estadão em dezembro.

Homem-bomba. O governo avaliou que era melhor deixar para lá o caso do general Hamilton Mourão, sem puni-lo, antes que a história se transformasse numa crise política.

SINAIS PARTICULARES: General Hamilton Mourão/Por Kleber Sales

 

Mitei? Depois de acusar o ex-presidente Lula de receber propina e fazer um ‘pacto de sangue’ com a Odebrecht, o petista Antonio Palocci perguntou a vários advogados de colegas de cárcere se tinha se saído bem.

CLICK. Rivais, o ministro Gilmar Mendes e o ex-procurador-geral Rodrigo Janot embarcaram no mesmo voo da TAP de Brasília para conexões em Portugal ontem. O ministro foi para a Alemanha acompanhar a eleição; Janot foi de férias para a Itália. O encontro não passou desapercebido pelos passageiros.

Coluna do Estadão

 

Pronto, Falei!

“Estamos fazendo uma reforma necessária e aprovando pontos que as pessoas conseguem entender”, do líder do PSDB na Câmara, deputado Ricardo Tripoli (SP), em defesa do que sobrou da reforma política.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão