‘Não tem plano B’, diz Roberto Jefferson sobre indicação de filha ao Trabalho

Coluna do Estadão

09 Janeiro 2018 | 17h25

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, afirmou à Coluna do Estadão que o partido “não tem plano B” e que a indicação da sua filha, Cristiane Brasil, para o Ministério do Trabalho, está mantida.

A declaração de Jefferson aconteceu depois de ele se reunir com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto. Interlocutores do governo afirmaram que, para evitar desgastes, seria melhor que a deputada desistisse de assumir o comando da pasta.

Na tarde desta terça-feira, 9, o vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2), desembargador federal Guilherme Couto de Castro, negou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão da primeira instância, que havia suspendido a nomeação e a cerimônia de posse da deputada no ministério.

Após a conversa com Jefferson e Cristiane, Temer pediu para a AGU entrar no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a decisão.


Ao Estado/Broadcast Político, a deputada afirmou que não vai desistir de assumir o cargo. Cristiane disse também que, durante a reunião com o presidente, eles decidiram que vão aguardar o STF julgar o recurso.

“Não é uma possibilidade”, declarou, ao ser questionada se poderia abrir mão de comandar o ministério. Segundo ela, Temer não pediu para ela desistir do posto durante a reunião. “Foi o contrário”, afirmou. Cristiane negou também que, durante o encontro, eles tenham discutido um novo nome para o cargo, caso ela seja impedida. “Vamos esperar o STF”, declarou.

A posse da nova ministra estava prevista para esta terça, mas uma ação popular foi movida por um grupo de advogados depois de vir à tona que a deputada do PTB foi condenada por desrespeitar direitos trabalhistas.