MPF prepara denúncia contra Grupo Gerdau

MPF prepara denúncia contra Grupo Gerdau

Coluna do Estadão

25 Julho 2017 | 05h30

Foto: André Dusek/Estadão

Depois de ajuizar ação contra executivos do Bank Boston, a Operação Zelotes trabalha em denúncia contra integrantes do Grupo Gerdau por envolvimento em suposto esquema de compra de decisões no Carf. O presidente da siderúrgica, André Gerdau, não deve ser acusado, embora tenha sido indiciado pela PF. Procuradores avaliam que ele não teve participação direta nos crimes investigados, pois apenas assinou procuração para terceiros, que teriam atuado para manipular decisões. A estimativa é de um prejuízo de R$ 1,5 bilhão.

Com a palavra. O grupo Gerdau nega ter “prometido, oferecido ou dado vantagem indevida” a servidores para que o Carf julgasse recursos em seu favor.

E mais. A companhia também diz que “jamais concedeu qualquer autorização para que seu nome fosse utilizado em pretensas negociações ilegais.” Leia a íntegra da nota da empresa.


Estamos de olho. O Planalto registrou o movimento do governador Geraldo Alckmin convidando a cúpula do DEM para jantar com ele em ontem. Especialmente depois dos últimos ruídos de Temer com a sigla.

Então, tá. Segundo um dirigente do DEM, o jantar foi organizado “apenas para um bate-papo”. Com o aumento da importância do partido no jogo nacional, Alckmin quer se aproximar.

De saída. Interlocutores de Geraldo Alckmin dizem que Paulo Menezes Figueiredo pediu para sair da presidência do Metrô de São Paulo. Um dos motivos é a falta de verbas. Por meio da assessoria, Figueiredo negou a informação.

Tem jogo? Da China, o prefeito João Doria (SP) mandou recado ao governo para saber se era possível excluir o diesel do aumento de impostos para evitar reflexos na tarifa de ônibus.

Nem vem. O pedido não será atendido. Com a arrecadação baixa, o governo não vai abrir brecha.

Guru. Amigo de longa data de Delfim Netto, Temer pediu a avaliação do ex-ministro sobre as dificuldades do cenário econômico. Delfim tem sido conselheiro de todos os governos desde o regime militar.

SINAIS PARTICULARES – DELFIM NETTO
ILUSTRAÇÃO: KLÉBER SALES

 

Esqueleto. Sobre o PDV para servidores federais, técnicos do governo dizem que Temer paga as consequências de manter reajustes dados por Dilma Rousseff ao funcionalismo. Agora bateu o desespero.

Plano B. As famílias Setúbal e Moreira Salles não foram a primeira aposta de Joesley Batista para vender a Alpargatas. Antes de falar com os sócios do Itaú, Batista tentou a Grendene.

Esquece. A conversa andou, mas Alexandre Grendene desistiu quando vazou a delação dos irmãos Batista.

Teto. Pela lei eleitoral em discussão na Câmara um deputado vai custar R$ 2,2 milhões. Será o limite de gasto permitido na disputa de 2018.

Fechou o tempo. O ministro Osmar Terra não esconde seu desconforto com os rumos da Anvisa na discussão sobre liberação do plantio de maconha para pesquisas médicas.

Não passarão. “Isso é uma piada. A maconha não é medicinal”, afirma o ministro, para quem “é muito importante que se denuncie a postura da Anvisa”.

 CLICK. O prefeito de Careiro, Nathan Macena (Pros), festejou o “Dia das Mães” em pleno julho e deu bonecas aos eleitores do Amazonas usando adesivo da campanha de Amazonino Mendes ao governo do Estado.

Foto: Coluna do Estadão

 

PRONTO, FALEI!

“Aqueles que defendem o Maduro deveriam visitar Roraima e conversar com os milhares de refugiados que fugiram da tirania bolivariana”, DEPUTADA FEDERAL SHÉRIDAN OLIVEIRA (PSDB-RR).

 

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Mais conteúdo sobre:

Operação ZelotesCarf