Ministro do Trabalho pede demissão

Ministro do Trabalho pede demissão

O ministro deixou o governo justamente no dia em que saíram os novos dados de empregos referentes a novembro

Andreza Matais

27 Dezembro 2017 | 17h41

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. Foto: André Dusek/Estadão

 

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, pediu demissão hoje ao presidente Michel Temer. Ele deixa o governo porque irá se candidatar na eleição de 2018. No lugar de Nogueira, o governo vai nomear o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA), que não irá disputar o pleito do ano que vem. Nogueira também é filiado ao PTB e ira concorrer à reeleição como deputado federal. A saída do ministro será oficializada no Diário Oficial da União do dia 29. O novo ministro assume no dia 4 de janeiro.

O Palácio do Planalto confirmou a informação antecipada pela Coluna do Estadão.


O ministro deixou o governo justamente no dia em que saíram os novos dados de empregos referentes a novembro. Depois de sete meses consecutivos de dados positivos, o fechamento de vagas formais superou a abertura, com exceção do setor de comércio.

LEIA MAIS: Com reforma trabalhista em vigor, País fecha 12.292 vagas formais em novembro

Em dezembro, o ministro se envolveu numa polêmica ao editar portaria que estabeleceu novas regras para a caracterização do trabalho análogo ao escravo. O ato está suspenso desde o dia 24 de outubro, por decisão liminar (provisória) da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF).

LEIA MAIS: STF suspende portaria que muda regras de combate ao trabalho escravo

O ministro disse ao presidente Temer que deseja se dedicar a sua campanha. Temer teria afirmado que ele poderia ficar no cargo até abril, mas acabou cedendo e aceitando o novo nome indicado pelo PTB para a vaga.

O novo ministro está no quinto mandato de deputado federal. Pedro Fernandes foi indicado justamente porque não irá concorrer em 2018, dando lugar ao filho. Nas duas denúncia contra o presidente Temer, ele votou pelo arquivamento.

O PTB é um dos principais aliados do governo Temer no Congresso. O presidente do partido, Roberto Jefferson, determinou o voto fechado da bancada a favor da reforma da Previdência e só irá aceitar novos deputados na legenda se se comprometerem a votar a favor da reforma.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão