Marun: “Presidente Temer não tem nada a ver com isso”

Marun: “Presidente Temer não tem nada a ver com isso”

Andreza Matais

29 Março 2018 | 11h33

 

O ministro Carlos Marun, da articulação política do governo, foi o único a falar até agora sobre a prisão de dois amigos do presidente Michel Temer, José Yunes e o coronel João Batista Lima. “Quero saber os motivos da prisão. Tenho certeza de que, se isso não for tratado com sensacionalismo, não enfraquece o governo porque o presidente Temer não tem nada a ver com isso. O decreto dos portos não beneficia a Rodrimar”, afirmou.

Para complementar: “A prisão de dois amigos do presidente é uma situação com relação a qual não tenho conhecimento dos motivos específicos que levaram a ela. Temos a mais absoluta convicção de que, em havendo clareza e imparcialidade na conclusão das investigações, chegaremos a óbvia conclusão, como se estivesse investigando um assassinato de quem não morreu, de que o decreto dos Portos não beneficia a Rodrimar e, no final, restará esclarecida a absoluta inocência do presidente em relação a isso”, disse, após um evento.

O presidente da Rodrimar, Celso Grecco, também foi preso hoje, assim como o ex-ministro Wagner Rossi, também amigo de Temer, e Milton Ortolan, apontado pelos delatores como braço direito de Wagner Rossi.

O presidente Michel Temer viajou para Vitória (ES) para inauguração do aeroporto. O acompanham os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Dyogo Oliveira (Planejamento) e Henrique Meirelles (Fazenda). A operação, batizada de Skala, foi autorizada pelo ministro do Supremo, Luís Roberto Barroso, a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. (Andreza Matais)