Marun já redigiu pedido de impeachment de Barroso

Marun já redigiu pedido de impeachment de Barroso

Andreza Matais

15 Março 2018 | 05h30

Ministros Luís Roberto Barroso, do Supremo, e Carlos Marun, da Secretaria de Articulação Política

O ministro Carlos Marun, da articulação política do governo, já redigiu o esboço do pedido de impeachment do ministro do STF Luís Roberto Barroso. Marun mostrou o texto ontem a parlamentares que estavam curiosos por causa da quantidade de livros jurídicos sobre sua mesa. O embasamento será o Artigo 39 da Lei 1.079/50, que inclui entre crimes de responsabilidade de ministros do Supremo exercer atividade político-partidária e agir de modo incompatível com o decoro. Para Marun, ao revogar o indulto natalino editado por Temer, Barroso feriu a legislação.

Imparcial. No documento, Marun diz que Barroso não teve esse rigor com relação ao indulto editado por Dilma Rousseff. Embora o teor seja quase igual ao de Temer. O da petista beneficiou José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino.

DNA. A posição de Barroso com relação aos dois indultos sustentará a acusação de que teria exercido atividade político-partidária. Ele foi nomeado por Dilma para a vaga na Corte.

Linha de frente. O pedido de impeachment será protocolado por Marun na próxima reunião do Congresso em abril. Ele vai reassumir o mandato de deputado para isso. Barroso virou alvo após quebrar o sigilo de Temer no inquérito dos Portos. Ele não comenta.

Duelo. O PR decidiu atropelar o MDB por mais poder e indicou Anderson de Oliveira para uma diretoria da Antaq, que era ocupada até fevereiro pelo partido do presidente Temer.

Como um gato. O líder do PTB, Jovair Arantes, negocia a entrada da sigla no Ministério dos Transportes. A porta de entrada é a Valec. O atual presidente da agência reguladora, Mario Mondolfo, ligado ao PR, pode deixar a vaga para ser secretário de Transportes do governo de SP.

Em crise. Depois de perder uma votação no Conselho Nacional do Ministério Público, as apostas são de que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, verá esse placar se repetir daqui para frente.

A primeira derrota. Na terça, o CNMP decidiu por 12 votos a 2 que Dodge pode ser investigada administrativamente pelo órgão.

SINAIS PARTICULARES: Raquel Dodge, Procuradora Geral da República; por Kleber Sales

Rolo compressor. O MDB está tentando convencer Josué Alencar a se candidatar ao Senado por Minas. O objetivo é enfrentar a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) à reeleição. Os dois disputam o mesmo eleitorado.

O mentor. O MDB mineiro apoia a candidatura do petista Fernando Pimentel ao governo, adversário de Aécio. O empresário ainda não tomou sua decisão.

Animou. Pesquisas internas dos aliados de Pimentel mostram que ele seria reeleito no primeiro turno.

CLICK. O líder do MDB, Baleia Rossi, fez graça ao quase cair da cadeira na festa de filiação do ministro Alexandre Baldy (Cidades) ao PP. “Tá vendo? O PP tá quase derrubando o MDB.” Os pepistas apoiam o presidenciável Rodrigo Maia ao Planalto.

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

Sacolinha. O PCdoB está lançando um Crowdfunding com a meta de arrecadar R$ 240 mil até o fim de abril para custear viagens da pré-candidata ao Planalto Manuela D’Ávila pelo País. As doações vão de R$ 10 a R$ 5 mil.

Grande família. Ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho esteve em Brasília quarta negociando sua filiação ao Partido Ecológico Nacional (PEN) para concorrer a deputado federal. Com ele iriam a ex-governadora Rosinha e a filha, Clarissa. Eles estão filiados ao PR.

PRONTO, FALEI!

Foto: Estadão

“Temer está vivendo os mesmos momentos de pré-impeachment de Dilma”, DO DEPUTADO MIRO TEIXEIRA (Rede-RJ),  sobre a crise política causada pela decisão do ministro Barroso de investigar o emedebista.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão