Marqueteiros de Trump se recusam a assessorar campanha de Bolsonaro

Marqueteiros de Trump se recusam a assessorar campanha de Bolsonaro

Luiza Pollo

21 Janeiro 2018 | 05h30

Em segundo lugar nas pesquisas eleitorais, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tentou, em vão, contratar a agência americana Cambridge Analytica, responsável pela campanha de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. Sondada por emissários do presidenciável brasileiro, a empresa pediu um tempo para analisar o comportamento de Bolsonaro nas redes sociais. Passados três meses, mandou avisá-lo que optou por recusar qualquer proposta para assessorá-lo na corrida ao Planalto. Avaliaram se tratar de um candidato com imagem “ruim”.

Não fui eu, mas… Questionado, o deputado desconversou sobre a abordagem. “Se alguém procurou esta agência, foi sem minha autorização. Não tenho dinheiro para contratar uma empresa dessas”, afirmou.

Fatia do bolo. Se migrar para o PSL, como anunciado, Bolsonaro terá R$ 3 milhões para usar na campanha. O valor refere-se a 30% dos R$ 9 milhões do fundo que a legenda deve receber.

Todo mundo ligado… Às vésperas do julgamento do ex-presidente Lula, a Secretaria Nacional de Comunicação do PT pediu acesso às páginas do Facebook de todos os governadores, parlamentares, prefeitos, vereadores e lideranças para fazer transmissões ao vivo.

…nas redes. O PT quer evitar que seus militantes percam eventos avaliados como importantes pela cúpula do partido. A ordem é divulgar tudo nas redes.

House of… A base de apoio da ministra Luislinda Valois dentro do Ministério dos Direitos Humanos está se dissolvendo. Formado pelo PSDB, PPS e PP, o grupo Negritude Socialista Brasileira está em pé de guerra.

…cards. O Tucanafro e PPafro disputam cargos comissionados. As brigas geraram acusações contra os grupos e deram origem à abertura de um procedimento interno para identificar os responsáveis.

Tirar o cavalinho… O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, tem tido conversas “francas” com Henrique Meirelles sobre a inviabilidade da candidatura do aliado à Presidência.

Sinais Particulares: Henrique Meirelles, ministro da Fazenda; por Kleber Sales

Pelo mundo. Em meio ao surto de febre amarela no País, o ministro Ricardo Barros (Saúde) vai emendar dez dias em viagens ao exterior. Após um giro pela América Central na semana passada, embarca amanhã com Temer para Davos. Só em SP, já foram registradas 36 mortes em um ano.

Ministro virtual. A assessoria da pasta alegou que Barros acompanha a situação “em tempo real” e garantiu que “os repasses de seringas e vacinas estão em dia”. Ele deixará o governo em março para tentar se reeleger deputado federal.

CLICK. A Câmara dos Deputados espalhou cartazes para incentivar as pessoas a trocar o elevador pelas escadas. As torres principais do Congresso têm 28 andares.

ISADORA PERON/ESTADÃO

Na cabeceira. Na bagagem a Davos, Michel Temer levará o livro Homo Deus, do escritor israelense Yuval Noah Harari.

Meio milhão. O Senado aproveitou o recesso parlamentar para reformar seis áreas da Casa. O custo será de R$ 534.660,63.

SEGUNDA-EIRA, 22

Michel Temer embarca para o Fórum Econômico Mundial
O discurso do presidente em Davos está agendado para quarta-feira, 24. Na Suíça, vai defender a reforma da Previdência.

QUARTA-FEIRA, 24

Julgamento do ex-presidente Lula começa em Porto Alegre
O TRF-4 analisa recurso apresentado pela defesa do petista no processo do triplex. A sessão está marcada para as 8h30

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE (Editora Interina), LEONEL ROCHA E ISADORA PERON.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão